Questões Português e Literatura UEL 2018 com Resolução

Questões Português e Literatura UEL 2018 com Resolução
(Universidade Estadual de Londrina)

PORTUGUÊS E LITERATURA

QUESTÃO 01
UEL 2018: Leia os fragmentos a seguir, retirados do livro A hora da estrela, de Clarice Lispector.

Pois a datilógrafa não quer sair de meus ombros. Logo eu que constato que a pobreza é feia e promíscua. Por isso não sei se minha história vai ser – ser o quê? Não sei de nada, ainda não me animei a escrevê-la. Terá acontecimentos? Terá. Mas quais? Também não sei. Não estou tentando criar em vós uma expectativa aflita e voraz: é que realmente não sei o que me espera, tenho um personagem buliçoso nas mãos e que me escapa a cada instante querendo que eu o recupere. (p.22)

[...] Vejo agora que esqueci de dizer que por enquanto nada leio para não contaminar com luxos a simplicidade de minha linguagem. Pois como eu disse a palavra tem que se parecer com a palavra, instrumento meu. Ou não sou um escritor? Na verdade sou mais ator porque, com apenas um modo de pontuar, faço malabarismos de entonação, obrigo o respirar alheio a me acompanhar o texto. (p.23)

– que ela era incompetente. Incompetente para a vida. Faltava-lhe o jeito de se ajeitar. Só vagamente tomava conhecimento da espécie de ausência que tinha de si em si mesma. Se fosse criatura que se exprimisse diria: o mundo é fora de mim, eu sou fora de mim. (Vai ser difícil escrever esta história. Apesar de eu não ter nada a ver com a moça, terei que me escrever todo através dela por entre espantos meus. Os fatos são sonoros mas entre os fatos há um sussurro. É o sussurro o que me impressiona.) (p.24)

Faltava-lhe o jeito de se ajeitar. Tanto que (explosão) nada argumentou em seu próprio favor quando o chefe da firma de representante de roldanas avisou-lhe com brutalidade (brutalidade essa que parecia provocar com sua cara de tola, que pedia tapa), com brutalidade que só ia manter no emprego Glória, sua colega, porque quanto a ela, errava demais na datilografia, além de sujar invariavelmente o papel. Isso disse ele. (p.24-25)
(LISPECTOR, C. A hora da estrela. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.)

Quais são as diferenças entre os fragmentos do primeiro bloco (p.22 e p.23) e os do segundo bloco (p.24 e p.24-25) quanto à relação entre o narrador e o que está sendo narrado? Exemplifique com passagens do texto.

Resposta.

QUESTÃO 02
UEL 2018: Leia os trechos a seguir, retirados do conto Saíde, o Lata de Água, de Mia Couto.

Entrou em casa e fechou a porta. A mão ficou no trinco, distraída, enquanto ele passeava os olhos naquele vazio. Lembrou-se dos tempos em que a encontrou: foram bonitos os dias de Júlia Timane! (p.88)

Sentiu a força do vento na porta e acordou da lembrança. Sempre que se recordava trabalhavam facas dentro da alma. Estava proibido de ir ao passado. E tudo por causa de Júlia, raio de mulher. Fechou a porta com a decisão da fúria. (p.90)
(COUTO, M. Saíde, o Lata de Água. In. Vozes anoitecidas.
São Paulo: Companhia das Letras, 2013.)

Esses dois fragmentos abrem e fecham uma parte do conto que corresponde à rememoração do protagonista Saíde. Neste instante de rememoração, são narrados fatos que dizem respeito a segredos guardados pelo protagonista. Após esse momento, na etapa do conto que caminha para o desfecho, ocorre uma revelação.

Com base nesses fragmentos e nessa afirmação, responda aos itens a seguir.

a) Qual é a revelação feita a um personagem e ao leitor no final do conto?

b) Por que o protagonista mantém uma versão falsa em segredo perante a população?

Resposta.

VEJA MAIS QUESTÕES DA UEL 2018
- PROVA OBJETIVA
- PORTUGUÊS
- INGLÊS
- FRANCÊS
- ESPANHOL
- ARTES
- BIOLOGIA
- FILOSOFIA
- FÍSICA
- GEOGRAFIA
- HISTÓRIA
- MATEMÁTICA
- QUÍMICA
- SOCIOLOGIA
- MAIS QUESTÕES DA UEL

QUESTÃO 03
UEL 2018: Leia os excertos a seguir, retirados da crônica Verdades e mentiras sobre as mães, de Martha Medeiros.

Mãe é mãe: mentira.
Mãe foi mãe, mas faz um tempão. Agora mãe é jogadora de basquete, é top model, é atriz, é superstar. Mãe, além disso, é pediatra, cozinheira, lavadeira, psicóloga, motorista. Também é política, tirana, ditadora, não tem outro jeito. Mãe é pai. Sustenta a casa, fuma charuto e está jogando um bolão. Mãe é irmã: empresta as roupas, vai a shows de rock e disputa namorado com a filha. Mãe é avó: pode ter um neto da mesma idade que seu filho. Mãe é deputada, é sem-terra, é destaque em escola de samba, é guarda de trânsito, é campeã de aeróbica. Só não é santa, casta e pura, a não ser que você acredite em milagres. Mãe foi mãe, agora é mãe também.
[...]
Mamãe eu quero: verdade.
Você pode não querer ser uma, mas não conheço ninguém que não queira a sua.
Maio de 1996
(Adaptado de: MEDEIROS, M. Verdades e mentiras sobre as mães.
In. Topless. Porto Alegre: L&PM, 2015. p.58-60.)

Com base nos excertos e na leitura da crônica, responda aos itens a seguir.

a) Explique o período “Mãe foi mãe, agora é mãe também.”

b) Explique as diferenças no uso dos pronomes “você” e “ninguém”, no período “Você pode não querer ser uma, mas não conheço ninguém que não queira a sua”.

Resposta.

QUESTÃO 04
UEL 2018: Leia a reportagem a seguir.

Cristiano Machado, 29 anos de idade, capricha na caligrafia e enfeita as cartas com desenhos.

As mensagens são escritas na cela que divide com outros rapazes na Penitenciária 3 de Hortolândia (100 km de SP), de onde espera sair no final deste ano. Até lá, tentará conquistar alguém que aceite dar fim a sete anos de isolamento afetivo com uma visita à unidade prisional.

Nas mensagens, ele busca uma mulher “fiel e sincera” e que acredite na recuperação dele, preso desde 2010 por roubo. “Cansei dessa vida que levo desde os 11 anos.”

A dica do correio do amor veio de um colega de detenção, que arranjou uma namorada por meio da seção. Como seduzir alguém em uma situação tão adversa? “Tem que mandar bonito nas cartas. Trocar aquela ideia para convencer ela a vir e mostrar que a gente é capaz de mudar”, disse ele, ao receber a Folha no presídio. Sorriso no rosto e com algemas, diz que teve respostas às missivas, mas nenhuma visita.

“As cartas dos privados de liberdade são as que mais me emocionam. São pessoas que se sentem muito solitárias e, às vezes, procuram apenas uma companhia”, diz Lara Pires, uma das jornalistas responsáveis pela seção.

Antes de voltar à cela, o rapaz que cursou até a 7ª série escreve um novo texto para que a reportagem entregue ao jornal. “Não tem mulher ideal, não tem modelo. Pode ser feia, bonita, gorda, velha. Sendo sincera, ótimo.”
(Adaptado de: À espera de uma visita, presidiário escreve bonito.
In. “CORREIO do namoro” atrai de viúva exigente a presidiário carente em busca de novo amor. Folha de S. Paulo, Cotidiano, B6. 12 jun. 2017.)

O trecho “Tem que mandar bonito nas cartas. Trocar aquela ideia para convencer ela a vir e mostrar que a gente é capaz de mudar” apresenta marcas de informalidade.

Reescreva-o de modo a eliminar essas marcas sem alterar o seu sentido original.

Resposta.

Questões Português e Literatura UEL 2018 com Resolução Questões Português e Literatura UEL 2018 com Resolução Reviewed by Redação on agosto 08, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.