Revalida 2017: Em reunião da Equipe de Saúde da Família com profissionais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família

Revalida 2017: Em reunião da Equipe de Saúde da Família com profissionais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família, põe-se em discussão o caso de um homem com 50 anos de idade e histórico de hipertensão arterial, tabagismo, obesidade e má adesão ao tratamento medicamentoso e não medicamentoso. A equipe começa a discutir formas de abordagem ao paciente.

Como estratégia de abordagem para a mudança de estilo de vida desse paciente, é adequado à equipe

(A) informar ao paciente sobre as consequências clínicas que a não adesão ao tratamento pode acarretar e repetir várias vezes o aconselhamento.

(B) focar a abordagem da ambivalência e, se necessário, utilizar o paradoxo terapêutico para lidar com a resistência do paciente.

(C) focar a abordagem baseada no confronto das negações que o paciente relata ao resistir às mudanças propostas.

(D) informar ao paciente sobre as soluções de mudança, enfatizando aquelas com impacto significativo no seu estilo de vida.

QUESTÃO ANTERIOR:
Revalida 2017: Um homem com 38 anos de idade, portador de diabetes melito tipo 1 desde os 12 anos, sem tratamento regular de sua doença de base, foi admitido no centro de tratamento intensivo em razão de quadro de sepse grave.

RESPOSTA:
(B) focar a abordagem da ambivalência e, se necessário, utilizar o paradoxo terapêutico para lidar com a resistência do paciente.

PRÓXIMA QUESTÃO:
- Revalida 2017: Uma menina com 8 anos de idade encontra-se internada em unidade hospitalar para tratamento de leucemia linfoide aguda. Cerca de 15 dias após uma sessão de quimioterapia, a paciente apresenta episódio de febre de 38,5 ºC.

PESQUISAR OUTRA QUESTÃO

Comentários