Questões Concurso: Enfermeiro Obstetra (FUNCERN 2019)

questoes-concurso-enfermeiro-obstetra-funcern-2019
Questões Concurso: Enfermeiro Obstetra (FUNCERN 2019)

Concurso realizado pela Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do Rio Grande do Norte para Prefeitura Municipal de Apodi. Confira abaixo as questões de conhecimento específico (Enfermeiro Obstetra) com gabarito.

CONHECIMENTO ESPECÍFICO
- ENFERMEIRO OBSTETRA -

QUESTÃO 16
FUNCERN 2019: A realização periódica do exame citopatológico continua sendo a estratégia mais adotada para o rastreamento do câncer do colo do útero. A coleta insatisfatória representa custo e desgaste para a mulher. Com o objetivo de se evitar uma amostra insatisfatória, o profissional recomenda

A) a realização do exame em qualquer período do ciclo menstrual.

B) a não interrupção do uso de medicamentos pela via vaginal.

C) a não realização de exames intravaginais, como a ultrassonografia, nas 48 horas que antecedem a coleta do citopatológico, pelo fato do uso do gel condutor.

D) a abstinência sexual nas 60 horas que antecedem o exame, pois a presença do espermatozoide compromete a avaliação microscópica.

GABARITO.

QUESTÃO 17
FUNCERN 2019: O câncer de mama, quando identificado em estágios iniciais (lesões menores que dois centímetros de diâmetro), apresenta prognóstico favorável. Para isso, é necessário implantar estratégias para a detecção precoce da doença. Conhecer a sintomatologia do câncer de mama é fundamental para que o profissional atue na detecção precoce dessa patologia.

É sinal de câncer de mama

A) presença de um nódulo doloroso à palpação.
B) ausência de hiperemia na pele da mama.
C) linfonodos palpáveis na região inguinal.
D) saída de secreção, unilateral e espontânea, pelo mamilo.

GABARITO.

QUESTÃO 18
FUNCERN 2019: Uma paciente comparece em uma maternidade referindo dores abdominais e sangramento genital. A anamnese e o exame detectaram: idade gestacional de 12 semanas pela DUM, temperatura axilar de 39°C, secreção purulenta no colo do útero e dor à manipulação dos órgãos pélvicos.

O exame de ultrassonografia demonstra ausência de batimentos cardiofetais. O diagnóstico é fechado: abortamento infectado. O abortamento representa um grave problema de saúde pública, com maior incidência em países em desenvolvimento, sendo uma das principais causas de mortalidade materna no mundo, inclusive no Brasil.

Frente ao caso, a equipe que assiste a essa mulher deve

A) encaminhá-la para realizar a curetagem uterina ou a aspiração manual intraútero.

B) iniciar a antibioticoterapia após 24 horas de internação.

C) orientá-la a procurar a Unidade Básica de Saúde para realizar o VDRL e o Anti-HIV.

D) prescrever apenas o anti-térmico e orientar a mulher a procurar o hospital somente em caso de sangramento aumentado.

GABARITO.

QUESTÃO 19
FUNCERN 2019: O acolhimento e a classificação de risco levam à tomada de decisões do profissional de saúde a partir de uma escuta qualificada, associada ao julgamento clínico embasado em protocolo fundamentado cientificamente. O Enfermeiro Obstetra que trabalha no acolhimento e classificação de risco obstétrico

A) não é responsável em comunicar a equipe de enfermagem sobre a conduta adotada: admissão, observação, reavaliação ou alta da mulher.

B) atende as mulheres que a ele compete, de forma acolhedora, de acordo com protocolo institucional e com o acesso imediato ao obstetra, quando necessário.

C) é o único profissional que deve realizar o acolhimento e a classificação de risco em maternidades

D) não tem a obrigação de realizar a passagem de plantão.

GABARITO.

QUESTÃO 20
FUNCERN 2019: Na gestação, ocorrem alterações fisiológicas decorrentes de fatores hormonais e mecânicos. Na gestante, essas modificações

A) podem ocasionar náuseas, que, apesar da causa desconhecida, podem estar relacionadas aos níveis decrescentes de gonadotrofina coriônica humana.

B) atingem o sistema sanguíneo, reduzindo a concentração da hemoglobina à níveis entre 11g/dl a 10,5g/dl, constituindo a anemia fisiológica da gravidez.

C) repercutem no útero, que, até o 4° mês de gestação, é exclusivamente pélvico.

D) culminam com o amolecimento do colo do útero durante toda a gestação pela ação de fatores mecânicos.

GABARITO.

QUESTÃO 21
FUNCERN 2019: A gestante J. D. S. comparece à unidade básica de saúde no dia 10 de maio de 2019 para realização da consulta pré-natal. Apresenta o resultado do Beta-HCG positivo. O enfermeiro que realiza a consulta pergunta sobre a data da última menstruação da gestante, a qual confirma ter sido em 25 de janeiro de 2019. Após calcular, o enfermeiro registra, no prontuário e na caderneta da gestante,

A) idade gestacional de 15 semanas e data provável do parto 01/10/2019.

B) idade gestacional de 14 semanas, e data provável do parto 10/11/2019.

C) idade gestacional de 15 semanas e data provável do parto 01/11/2019.

D) idade gestacional de 14 semanas e data provável do parto 02/11/2019.

GABARITO.

QUESTÃO 22
FUNCERN 2019: Observe a figura abaixo e analise a situação, apresentação e posição fetal.


A nomenclatura obstétrica correspondente à descrição presente na figura é

A) ODA.
B) OEP.
C) ODP.
D) OEA.

GABARITO.

QUESTÃO 23
FUNCERN 2019: No mecanismo do parto, o feto é o móvel ou objeto que percorre o trajeto (bacia), impulsionado por um motor (contração uterina). É importante estudar e compreender os tempos do mecanismo do parto para melhor assistir a parturiente. Durante a assistência do enfermeiro obstetra à mulher em trabalho parto, ele se atenta aos tempos do mecanismo

A) em que, na insinuação, ocorre a passagem da maior circunferência da apresentação através do anel do estreito superior.

B) que podem ser divididos em insinuação, descida, desprendimento e dequitação.

C) em que, na descida, ocorre apenas a rotação interna da cabeça e das espáduas.

D) nos quais, na dequitação, ocorre a insinuação das espáduas.

GABARITO.

QUESTÃO 24
FUNCERN 2019: A parturiente A. K. M., 30 anos, GI P0, encontra-se internada, em trabalho de parto, em uma maternidade pública no interior do Estado do Rio Grande do Norte. O Enfermeiro Obstetra que a assiste, embasado pelas Diretrizes Nacionais de Assistência ao Parto Normal, deve

A) orientar que a parturiente evite a ingestão de líquidos durante o trabalho de parto, muito embora ela não apresente fator de risco iminente para anestesia geral.

B) encorajar a mulher a se movimentar e a adotar posturas que lhe sejam mais confortáveis durante o seu trabalho de parto.

C) orientar que a mulher não tem o direito ao acompanhante de sua livre escolha durante o trabalho de parto.

D) realizar a Manobra de Kristeller no segundo período do estágio do parto com o objetivo de ajudar a saída do feto.

GABARITO.

QUESTÃO 25
FUNCERN 2019: A parturiente A. K. M, após 10 horas em trabalho de parto, pariu feto vivo, sexo feminino, apgar 9/10. O Recém-nascido foi assistido pelo Enfermeiro Obstetra, que, baseado pelas Diretrizes Nacionais de Assistência ao Parto Normal, deve

A) realizar o clampeamento do cordão ainda com pulsação presente.

B) realizar a passagem de sonda retal para detectar atrésias.

C) realizar a profilaxia oftalmoscópia com a pomada de eritromicina a 0,5%.

D) administrar a vitamina K, por via intramuscular, na dose de 2 mg, logo após o nascimento.

GABARITO.

QUESTÃO 26
FUNCERN 2019: Um enfermeiro encontra-se de plantão em uma Maternidade no Estado do Rio Grande do Norte. No alojamento conjunto, ele presta cuidados às puérperas e aos recém-nascidos.

A puérpera G.C.M. teve um parto eutócico, há duas horas. O enfermeiro realiza a anamnese e o exame físico a fim de detectar as involuções que estão ocorrendo nessa fase.

Ele não detecta intercorrência. Então, nesse caso, a orientação correta à puérpera G.C.M é

A) a deambulação somente após 6 horas do parto, a fim de se evitar hemorragias.

B) a informação de que, dentro dessas primeiras 24 horas de pós-parto, o corpo de G.C.M pode apresentar pirexia.

C) a ingestão apenas de líquido pelas próximas 6 horas após o parto, a fim de facilitar as eliminações vesicais.

D) o uso de compressas mornas na região perineal, para reduzir edemas e desconfortos.

GABARITO.

QUESTÃO 27
FUNCERN 2019: A hemorragia pós-parto é uma das principais causas de morte materna. Os profissionais que assistem a mulher em trabalho de parto e no pós-parto precisam estarem atentos às causas da hemorragia para tomarem as condutas adequadas. Em relação às causas da hemorragia pós-parto, é correto afirmar:

A) a atonia uterina é a causa de hemorragia pós-parto mais comum. É tratada, inicialmente, com o esvaziamento da bexiga, compressão bimanual do útero e agentes uterotônicos.

B) a realização de episiotomia não está relacionada a casos de hemorragias pós-parto.

C) a retenção placentária pode está relacionada à hemorragia pós-parto. Recomenda-se, nesse caso, evitar a extração manual da placenta, mesmo quando a Manobra de Credé for ineficiente.

D) não se orienta pesquisar distúrbios de coagulação hereditários, como a doença de von Willebrand, uma vez que o sistema de coagulação é ativado no pós-parto.

GABARITO.

QUESTÃO 28
FUNCERN 2019: O enfermeiro obstetra precisa conhecer a fisiologia da gestação e do parto e encaminhar a paciente para o profissional médico em casos de intercorrências clínicas e distócias. Dentre as intercorrências que podem surgir, merecem atenção a Placenta Prévia e o Descolamento Prematuro da Placenta.

O profissional precisa ter conhecimentos para realizar o diagnóstico diferencial entre essas duas intercorrências. No que se refere ao diagnóstico diferencial entre placenta prévia e descolamento prematuro da placenta, é correto afirmar:

A) na placenta prévia, a hemorragia é externa com vermelho-rutilante; enquanto que no descolamento prematuro da placenta, a hemorragia inicialmente é interna e, depois, se exterioriza com sangue escuro.

B) na placenta prévia, a dor é forte; enquanto que no descolamento prematuro da placenta, a paciente não refere dor.

C) no descolamento prematuro da placenta, o exame de urina tem resultado normal; enquanto que há presença de proteinúria no caso de placenta prévia.

D) no descolamento prematuro da placenta, a hemorragia surge de forma inesperada e sem causas aparentes; já na placenta prévia, a hemorragia pode estar vinculada a traumatismos.

GABARITO.

QUESTÃO 29
FUNCERN 2019: No processo de amamentação, podem surgir diversos problemas, dentre eles o ingurgitamento mamário. No ingurgitamento patológico, a mama fica excessivamente distendida, o que causa grande desconforto, às vezes acompanhado de febre e mal-estar.

Além disso, pode haver áreas difusas avermelhadas, edemaciadas e brilhantes. Os mamilos ficam achatados, dificultando a pega do bebê, e o leite muitas vezes não flui com facilidade. Assim, é fundamental que o enfermeiro esteja apto a atuar no manejo clínico desse quadro,

A) estabelecendo horários fixos para as mamadas do bebê, a cada 3 horas, com o objetivo de garantir o descanso da puérpera e o esvaziamento das mamas.

B) realizando compressas geladas, com duração de, no máximo, 20 minutos, após o fim das mamadas e no intervalo entre as mamadas.

C) desaconselhando o uso do sutiã para evitar a congestão do leite na parte inferior da mama.

D) orientando que seja introduzido o leite artificial, caso o bebê não consiga sugar a mama ingurgitada.

GABARITO.

QUESTÃO 30
FUNCERN 2019: A Rede Cegonha (RC) é uma iniciativa do Ministério da Saúde/MS lançada pelo Governo Federal, em 2011, com objetivo de proporcionar melhor atenção e qualidade de saúde para mulheres e crianças. A RC incentiva a inovação e a excelência na atenção pré-natal, na assistência ao parto e ao pós-parto, bem como nas ações em torno do desenvolvimento da criança durante os primeiros dois anos de vida.

Para nortear a reorganização dos processos de trabalho nos serviços obstétrico-neonatais, a Rede Cegonha tem como diretriz(es)

A) a gestão democrática e participativa e a gestão participativa e compartilhada na maternidade, buscando aumentar o grau de corresponsabilização entre usuários/acompanhantes, trabalhadores e gestores.

B) a garantia de acolhimento com classificação de risco apenas nas maternidades de grande fluxo de atendimentos.

C) a garantia de vinculação das gestantes nas consultas de pré-natal, sem referências para o parto.

D) a garantia de acesso aos métodos contraceptivos, excluindo-se a ligação tubária pela dificuldade da realização do método na rede assistencial.

GABARITO.

Comentários