Questões Medicina de Família e Comunidade - Conhecimento Específico - com Gabarito

Questões Medicina de Família e Comunidade - Conhecimento Específico - com Gabarito

QUESTÃO 21
UFTM 2018: Matheus começou a trabalhar como médico em uma equipe de Saúde da Família de seu município e, no seu primeiro dia de trabalho, recebeu de Júlia, a enfermeira da equipe, a solicitação para realizar um grupo de educação popular em saúde com a comunidade adscrita à sua Unidade Básica de Saúde (UBS). Ele prontamente se recusou a realizar tal atividade e informou a Júlia que o papel do(a) médico(a) na Estratégia Saúde da Família é apenas atender às pessoas individualmente em seu consultório. Diante disso, a enfermeira Júlia decide consultar a Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) para verificar se a execução de grupos com a comunidade é um papel do(a) médico(a) da Estratégia Saúde da Família. Com base na PNAB, qual, dentre as alternativas abaixo, está CORRETA na situação envolvendo Júlia e Matheus?

A. Matheus pode e deve realizar grupos na UBS onde atua, pois, segundo a PNAB, é atribuição do médico realizar consultas clínicas, pequenos procedimentos cirúrgicos, atividades em grupo na UBS e, quando indicado ou necessário, no domicílio e/ou nos demais espaços comunitários.

B. Matheus, como médico de uma equipe de Saúde da Família, não deve realizar grupos com a comunidade, uma vez que, conforme a PNAB, é atribuição do médico apenas realizar a atenção à saúde aos indivíduos sob sua responsabilidade.

C. Matheus, como médico de uma equipe de Saúde da Família, não deve realizar grupos com a comunidade, mas deve participar do gerenciamento dos insumos necessários para o adequado funcionamento da UBS.

D. Júlia não deveria ter feito essa solicitação a Matheus, uma vez que atividades em grupo na UBS e, quando indicado ou necessário, no domicílio e/ou nos demais espaços comunitários, é atribuição exclusiva do(a) enfermeiro(a) da equipe de Saúde da Família.

Resposta.

QUESTÃO 22
UFTM 2018: Após a realização da territorialização da área de abrangência da Unidade Básica de Saúde (UBS) onde atua, o médico Rogério identificou a presença de grande quantidade de adolescentes, o que o surpreendeu por não identificar o mesmo aspecto nas consultas individuais que realiza. Qual, dentre as alternativas abaixo, está CORRETA com relação à ação que Rogério pode realizar no intuito de aproximar-se do cuidado em saúde dos(as) adolescentes de sua área de abrangência?

A. Rogério não deve buscar realizar grupos com os(as) adolescentes de sua área de abrangência. Por apresentarem interações mais brutas que os adultos, e por vezes ameaçadoras, eles(as) podem provocar maior dificuldade em trabalhar a contratransferência do facilitador. Assim sendo, Rogério deve buscar a abordagem deles(as) através de consultas individuais.

B. Rogério não deve fazer nenhuma abordagem com os(as) adolescentes de sua área de abrangência. Pela baixa incidência de agravos nessa população e pela participação em atividades relacionadas à sua saúde ser, muitas vezes, imposta pelos pais, os(as) adolescentes não têm motivação suficiente para essas ações, o que as tornariam infrutíferas.

C. Rogério deve, inicialmente, realizar grupos com os(as) adolescentes da sua área de abrangência, pois eles(as) toleram melhor um formato grupal, mais diluído, que uma situação individual, na qual os inquietantes sentimentos estão mais concentrados na relação médico-pessoa e, por isso, são mais ameaçadores.

D. Rogério deve, inicialmente, realizar grupos com os(as) adolescentes da sua área de abrangência, em que são úteis uma caixa com material para desenhos, um quadro negro e jogos coletivos. A intervenção deve ser ativa, por vezes com cunho pedagógico esclarecedor e, se possível, com a presença de mais de um profissional como facilitador.

QUESTÃO 23
UFTM 2018: Lucas é médico de família e comunidade de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) de seu município. Rodrigo é acadêmico do quinto período do curso de Medicina e, no momento, faz estágio na UBS onde Lucas atua. Durante discussão de atendimento à paciente com suspeita de dengue, Rodrigo perguntou a Lucas quais seriam as atribuições do médico de família e comunidade nas ações de Vigilância em Saúde. Lucas poderá responder a Rodrigo utilizando-se de todas as alternativas abaixo, EXCETO:

A. Diagnosticar, notificar e tratar precocemente os agravos/doenças, conforme orientações da Vigilância em Saúde.

B. Contribuir e participar das atividades de educação permanente dos membros da equipe quanto à prevenção, ao manejo do tratamento, às ações de vigilância epidemiológica e ao controle das doenças.

C. Orientar os Auxiliares e Técnicos de Enfermagem, Agentes Comunitários de Saúde e Escolar para o acompanhamento dos casos em tratamento e/ou tratamento supervisionado.

D. Encaminhar, quando necessário, os casos graves para a unidade de referência, respeitando os fluxos locais e deixando de ser o responsável pelo acompanhamento do caso, tão logo faça o encaminhamento.

QUESTÃO 24
UFTM 2018: Ana Letícia é médica de família e comunidade de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) de seu município. Durante atendimento de Morgana, 54 anos, com história de epilepsia, identificou que precisaria introduzir uma segunda droga antiepiléptica ao tratamento. Assim, Ana Letícia encaminhou Morgana para atendimento com neurologista, uma vez que considerou não ter experiência no manejo dessas drogas.

Diante da situação descrita, qual princípio da atenção básica está presente na ação de Ana Letícia ao encaminhar Morgana para atendimento com neurologista? Assinale a alternativa CORRETA.

A. Integralidade
B. Equidade
C. Longitudinalidade
D. Coordenação do Cuidado

QUESTÃO 25
UFTM 2018: Débora, enfermeira da Unidade Básica de Saúde (UBS) onde Marcos atua como médico de família e comunidade, solicitou a ele que apresentasse em uma reunião de equipe as etapas de um diagnóstico de saúde da comunidade, para que a equipe começasse a trabalhar com essa ferramenta em seu processo de trabalho. Em sua apresentação, Marcos deve abordar todas as etapas abaixo, EXCETO:

A. Estudo piloto.
B. Análise dos dados.
C. Elaboração dos diagnósticos isolados.
D. Padronização de medidas.

QUESTÃO 26
UFTM 2018: Ao promover o cuidado ampliado em saúde para um usuário sob sua responsabilidade, você decide realizar uma representação gráfica da família para compreender o padrão de relacionamento familiar.

Qual instrumento de abordagem familiar você utilizaria nessa situação? Marque a assertiva CORRETA.

A. Ecomapa
B. Genograma
C. F.I.R.O
D. P.R.A.T.I.C.E

QUESTÃO 27
UFTM 2018: Buscando superar a lógica programática e a protocolização estereotipada em saúde mental, você e sua equipe decidem realizar um Projeto Terapêutico Singular (PTS) para um paciente de sua área de abrangência. Qual dos momentos abaixo está relacionado com a elaboração de um PTS? Marque a assertiva CORRETA.

A. Definição do diagnóstico clínico
B. Definição do médico de referência
C. Definição dos riscos
D. Definição de objetivos/metas

QUESTÃO 28
UFTM 2018: Ao realizar o atendimento de uma travesti, você a chama pelo nome social presente no “Cartão do SUS”. Qual princípio do Sistema Único de Saúde (SUS) está relacionado com o nome social? Marque a assertiva CORRETA.

A. Universalidade
B. Equidade
C. Integralidade
D. Acessibilidade

QUESTÃO 29
UFTM 2018: Considerando as ações desenvolvidas pela Política Nacional de Atenção Básica, como pode-se considerar as tecnologias aplicadas nessas ações? Marque a assertiva CORRETA.

A. Elevada complexidade e baixa densidade tecnológica
B. Elevada complexidade e moderada densidade tecnológica
C. Baixa complexidade e alta densidade tecnológica
D. Moderada complexidade e baixa densidade tecnológica

QUESTÃO 30
UFTM 2018: Para ampliar a participação social no Sistema Único de Saúde (SUS) da sua área de abrangência, o que você poderia propor na e para a sua unidade de saúde? Marque a assertiva CORRETA.

A. Conferência distrital de saúde
B. Conferência municipal de saúde
C. Conferência local de saúde
D. Conferência regional de saúde

QUESTÃO 31
UFTM 2018: Ao atender Pedro, um homem transexual, de 26 anos, com história de relações sexuais por penetração vaginal, sem comorbidades e sem história familiar pregressa de comorbidades, ele lhe informa que deseja realizar exames de prevenção secundários. Diante disso, quais exames você indicaria? Marque a assertiva CORRETA.

A. Solicitação de Antígeno Prostático Específico
B. Solicitação de Exame Citopatológico de Colo de Útero
C. Solicitação de Mamografia
D. Solicitação de Exame de Toque Retal

QUESTÃO 32
UFTM 2018: Você é médico(a) de família de uma UBSF. Silvia, uma adolescente de 13 anos, procura a Unidade de Saúde para agendar coleta de citologia oncótica, pois teve uma relação sexual desprotegida. A recepcionista pergunta-lhe como deve proceder. Assinale a alternativa que representa a conduta CORRETA a ser orientada:

A. Orientar agendamento para a paciente o quanto antes, para que faça a coleta da citologia oncótica de colo de útero com a equipe de enfermagem.

B. Orientar agendamento de consulta médica para receber orientações sobre vida sexual, porém não há necessidade de coleta de citologia oncótica.

C. Orientar que a paciente agende a coleta de citologia oncótica de colo de útero, bem como de sorologias para DST.

D. Orientar que a paciente agende a coleta de citologia oncótica de colo de útero, bem como vacinação contra HPV.

QUESTÃO 33
UFTM 2018: Considerando o Caderno de Atenção Básica de Pré-Natal de Baixo Risco e a Assistência à Saúde Bucal da gestante, assinale a alternativa CORRETA:

A. Poucos procedimentos podem ser realizados devido ao alto risco para o bebê do uso de anestésico. Dessa forma, é indicado que procedimentos odontológicos sejam realizados apenas após o parto, utilizando medicamentos sintomáticos, se necessário.

B. Alguns medicamentos utilizados pelas gestantes podem causar problemas de dentição no bebê e, por isso, devem ser evitados. Um dos exemplos de medicamentos é a tetraciclina, que deve ser evitada por causar anomalias no desenvolvimento dos dentes como a agenesia de incisivos.

C. Durante a gestação, as radiografias odontológicas deverão ser evitadas a qualquer custo, uma vez que a radiação pode provocar complicações e más-formações fetais. Não existe segurança em realizá-la durante a gravidez e, se necessário, o tratamento odontológico deve ser reservado para após o parto.

D. Existem várias patologias odontológicas que interferem diretamente no bem-estar materno e fetal. A periodontite, por exemplo, é uma doença que está relacionada com parto prematuro e baixo peso ao nascer, e deve ser abordada pelo dentista quando necessário.

QUESTÃO 34
UFTM 2018: Rodrigo traz a filha de três anos para avaliação médica na demanda espontânea, pois encontrou a criança brincando com a planta Dieffenbachia (comigo-ninguém-pode) há cerca de 30 minutos e está preocupado se pode ter algum problema. Em relação ao caso apresentado, assinale a alternativa CORRETA:

A. Todo caso de intoxicação por plantas deve ser notificado ao Centro de Informação e Assistência Toxicológica.

B. A Dieffenbachia (Comigo-ninguém-pode) é a principal causa de intoxicações por plantas, principalmente até os três anos de idade.

C. Plantas com princípios ativos parecidos desencadeiam manifestações clínicas semelhantes, nesse caso, o contato com glicosídeos cianogênico é a maior preocupação.

D. Caso tenha ocorrido ingestão acidental, estimular o vômito e/ou realizar a lavagem gástrica com Carvão Ativado minimiza a absorção da toxina.

QUESTÃO 35
UFTM 2018: Sueli vem para consulta, pois cortou a planta do pé direito ao pisar em um caco de vidro. O ferimento foi profundo com sangramento ativo. Após lavar o ferimento com água e sabão e conter o sangramento, um cachorro desconhecido lambeu a ferida. Assinale a alternativa que corresponde à conduta CORRETA:

A. Antes da aplicação do soro antirrábico ou da vacina é necessário avaliar se não existe contra-indicação para aplicação.

B. Deve-se observar o animal por 10 dias e iniciar o esquema de profilaxia, caso ele se torne raivoso, morra ou desapareça.

C. Não se recomenda a sutura dos ferimentos, se absolutamente necessário, deve-se apenas aproximar as bordas com pontos isolados.

D. Deve-se iniciar imediatamente o esquema profilático com soro e cinco doses de vacina administradas nos dias 0, 3, 7, 14 e 28.

QUESTÃO 36
UFTM 2018: A equipe da recém-inaugurada Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF), Rio das Pedras, precisava conhecer o perfil epidemiológico da população do bairro, mas ainda não havia realizado o cadastro dos moradores e não dispunha do número total da população. O médico da equipe sugeriu então utilizar os dados do bairro a partir dos sistemas de informação existentes na Secretaria Municipal de Saúde, referente ao último ano.

Citou, por exemplo, utilizar o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) e o Sistema de Informação de Nascidos Vivos (SINASC). Nesse contexto, utilizando as informações contidas nos dois sistemas, é possível calcular os seguintes indicadores:

A. Mortalidade Proporcional de Maiores de 50 anos; Percentual de Cesarianas; Coeficiente de Mortalidade Neonatal.

B. Coeficiente de Mortalidade de Menores de 20 anos; Coeficiente de Mortalidade por Câncer; Percentual de Nascidos Vivos de Baixo Peso.

C. Coeficiente de Mortalidade Infantil; Coeficiente de Mortalidade Materna; Coeficiente de Mortalidade Geral.

D. Mortalidade Proporcional Pós-Neonatal; Percentual de Nascidos Vivos Prematuros; Coeficiente de Mortalidade por Causas Violentas.

QUESTÃO 37
UFTM 2018: Diante das informações descritas no item anterior, pode-se afirmar que o delineamento do estudo em questão é um:

A. Estudo de Coorte
B. Estudo de Caso-controle
C. Estudo Experimental
D. Estudo Transversal

QUESTÃO 38
UFTM 2018: Faça a associação entre as patologias ocupacionais e seus possíveis agentes causais.

1 – Leucemia Mieloblástica
2 – Mesotelioma de Pleura
3 – Silicose
4 – Anemia por transtorno enzimático

( ) ASBESTO
( ) CHUMBO
( ) QUARTZO
( ) BENZENO

Depois, assinale a opção que corresponda à sequência CORRETA:

A. 1,3,2,4
B. 4,1,3,2
C. 3,4,1,2
D. 2,4,3,1

QUESTÃO 39
UFTM 2018: O médico de família, ao atender a Sra. Julia, de 60 anos, com história de dificuldade para dormir nos últimos meses, referindo-se sempre cansada e ansiosa, solicita insistentemente que lhe seja prescrito um medicamento para relaxar e dormir melhor. O médico, após ouvir com atenção e cuidado as queixas e história de vida da paciente, após anamnese e exame físico, identifica hábitos inadequados ao dormir. Como conduta, sugere à paciente que, inicialmente, experimente algumas técnicas de “higiene do sono”.

Com o consentimento dela, agenda retorno em um mês para reavaliação, sem prescrição alguma de medicamentos. Podemos classificar essa conduta como:

A. Prevenção Primária
B. Prevenção Quaternária
C. Prevenção Secundária
D. Prevenção Terciária

QUESTÃO 40
UFTM 2018: Segundo o Estatuto da Criança e Adolescente e o Código de Ética Médica, a conduta CORRETA, caso a adolescente de 13 anos, Silvia, queira agendar uma consulta é:

A. A paciente não pode comparecer sozinha à consulta e, caso o faça, o médico deve revelar a seus pais ou responsáveis legais o conteúdo desse atendimento.

B. A paciente pode comparecer sozinha à consulta, porém o médico deve revelar a seus pais ou responsáveis legais o conteúdo desse atendimento.

C. A paciente só pode comparecer à consulta acompanhada de seus pais ou responsáveis legais, e o médico deve recusar o atendimento caso não estejam presentes.

D. A paciente pode comparecer sozinha ou acompanhada à consulta, dependendo da sua vontade, e o médico não deve revelar a seus pais ou responsáveis legais o conteúdo desse atendimento.

Resposta.

Questões Medicina de Família e Comunidade - Conhecimento Específico - com Gabarito Questões Medicina de Família e Comunidade - Conhecimento Específico - com Gabarito Reviewed by Redação on julho 25, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.