(Instituto Acesso) As dificuldades comunicativas observadas em crianças com DEA

(Instituto Acesso) As dificuldades comunicativas observadas em crianças com Distúrbios do Espectro do Autismo (DEA) vão desde o atraso no desenvolvimento da linguagem, até dificuldades funcionais no seu uso. A fim de facilitar o processo de comunicação, o fonoaudiólogo pode orientar professores de escolas regulares com inclusão de alunos com DEA.

Assinale uma orientação condizente com o caso.

A) Evitar usar metáforas na fala, uma vez que crianças com DEA podem entender figuras de linguagem de forma literal.

B) Excluir o aluno das atividades que envolvam comunicação oral, apresentando-o atividades exclusivamente motoras.

C) Trabalhar a funcionalidade da comunicação desse aluno, antecipando-se às ações dele.

D) Motivar os outros companheiros de classe a usar comunicação gestual, mesmo que a criança com DEA apresente fala, de forma a facilitar a interação entre eles.

E) Durante o diálogo com a criança, deve-se usar a estratégia de "bombardeio linguístico", apresentando várias ordens ou informações ao mesmo tempo.

QUESTÃO ANTERIOR:
(Instituto Acesso) Os testes comportamentais usados na Avaliação do Processamento Auditivo (Central) diferenciam-se por avaliar mecanismos e habilidades auditivas distintas.

RESPOSTA:
A) Evitar usar metáforas na fala, uma vez que crianças com DEA podem entender figuras de linguagem de forma literal.

PRÓXIMA QUESTÃO:
- (Instituto Acesso) O ato mastigatório pode ser dividido em três fases: fase de abertura da boca, fase de fechamento da boca e fase oclusal, nas quais há movimento mandibular por ação dos músculos da mastigação.

PESQUISAR OUTRA QUESTÃO

Comentários