Questões de Interpretação do Texto 'Gestos e palavras' para Concurso com Gabarito

questoes-de-interpretacao-do-texto-gestos-e-palavras-para-concurso-com-gabarito
Questões de Interpretação do Texto 'Gestos e palavras' para Concurso com Gabarito

[Gestos e palavras]

Uma vez eu estava em Londres numa sala comum da classe média inglesa: a lareira acesa, todo mundo com sua taça de chá, a família imersa naquela naturalidade (chega a parecer representação) com que os ingleses aceitam a vida. Os ingleses, diz o poeta Pessoa, nasceram para existir!

A certa altura um garoto de uns dez anos começou a contar uma história de rua, animou-se e começou a gesticular. Só comecei a perceber o que se passava quando notei que aquele doce sorriso mecânico, estampado em cada rosto de todas as pessoas da família, sumiu de repente, como se uma queda de voltagem interior houvesse afetado o sorriso coletivo. Olhos de avó, mãe, tias e tios concentraram-se em silêncio sobre o menino que continuava a narrativa com uma inocência maravilhosa. Diante disso, uma das senhoras falou para ele com uma voz sem inflexões: “Desde quando a gente precisa usar as mãos para conversar?”

Vi deliciado o garoto recolher as mãos e se esforçar para transmitir o seu conto com o auxílio exclusivo das palavras. O sorriso de todos iluminou de novo a sala: a educação britânica estava salva.

Imaginemos um garoto italiano de dez anos que fosse coarctado* pela família em seus gestos meridionais. Seria uma crueldade, uma afetação pedagógica, uma amputação social. Daí cheguei à conclusão óbvia: os ingleses educam os filhos para que eles venham a ser ingleses, os italianos, para que venham a ser italianos.

*Coarctar: reduzir-se a limites mais estritos; restringir, estreitar
(CAMPOS, Paulo Mendes. O amor acaba. São Paulo:
Companhia das Letras, 2013, p. 209-210)

QUESTÃO 01
(FCC) De sua experiência em Londres, relatada no texto, o autor reteve sobretudo a impressão

(A) do desajuste entre a vivacidade de uma fala e uma tradição cultural em que os modos de expressão já estão convencionados.

(B) da contraposição entre o comportamento padronizado da família inglesa e o sentido da fala da senhora que se dirigiu ao menino.

(C) do contraste entre a iniciativa do menino inglês e do que se costuma esperar nas iniciativas de meninos de outras nações.

(D) da irrelevância que as palavras espontâneas de um menino podem adquirir num meio social em que se valorizam outros códigos.

(E) da indiferença com que adultos de hábitos já cristalizados respondem ao discurso natural e vivo de um menino loquaz.

RESPOSTA.

QUESTÃO 02
(FCC) Com base no segmento textual indicado, o autor destaca

(A) o relativismo dos valores nacionais, em a educação britânica estava salva.

(B) a superioridade da cultura meridional, em Imaginemos um garoto italiano.

(C) o papel formador da escola tradicional, em uma afetação pedagógica.

(D) a insurgência do menino, em Vi deliciado o garoto recolher as mãos.

(E) o consenso das reações da família, em afetado o sorriso coletivo.

RESPOSTA.

QUESTÃO 03
(FCC) Considerando-se o tipo de texto explorado pelo autor, verifica-se que ele é predominantemente narrativo, pela insistente presença de segmentos como

(A) A certa altura um garoto de uns dez anos começou a contar uma história, embora ao final do texto a expressão a conclusão óbvia anuncie um segmento argumentativo.

(B) aquele doce sorriso mecânico, conquanto haja alguma presença de discurso dissertativo, como em Vi deliciado o garoto recolher as mãos.

(C) os ingleses educam os filhos para que eles venham a ser ingleses, ao lado de algumas expressões descritivas como a educação britânica estava salva.

(D) coarctado pela família em seus gestos meridionais, contrastando com o segmento descritivo Imaginemos um garoto italiano.

(E) Os ingleses, diz o poeta Pessoa, nasceram para existir, em apoio ao que há de descritivo na expressão os ingleses aceitam a vida.

RESPOSTA.

QUESTÃO 04
(FCC) É correta e coesa a nova redação dada a um segmento do texto em:

(A) Conforme disse o poeta Pessoa, segundo o qual é afim de existir que nascem os ingleses.

(B) A naturalidade da qual imergia a família representa o quanto se aceitam a vida entre os ingleses.

(C) Sem usar sequer inflexões, uma das senhoras advertiu de que não se precisam de mãos numa conversa.

(D) O garoto abdicou dos gestos e buscou se valer tão somente de recursos verbais em sua narração.

(E) Aos garotos italianos tornar-se-iam impossíveis gestos evitados em suas falas tipicamente meridionais.

RESPOSTA.

QUESTÃO 05
(FCC) Ambos os elementos sublinhados exemplificam uma mesma função sintática em:

(A) Vi deliciado o garoto recolher as mãos.

(B) Os ingleses, diz o poeta, nasceram para existir.

(C) O sorriso de todos iluminou de novo a sala.

(D) O menino continuava a narrativa com uma inocência maravilhosa.

(E) Aquele doce sorriso mecânico sumiu de repente.

RESPOSTA.

QUESTÃO 06
(FCC) Observam-se as normas que regem o emprego dos sinais de crase e de pontuação em:

(A) Não há dúvida, de que o autor do texto recorre à estereótipos culturais em sua narrativa a qual não faltam elementos de humor.

(B) Quando se assiste à cenas familiares, marcadas pelo conservadorismo, vê-se logo, quão divertido é quebrar os protocolos.

(C) O que será? – pensou o autor que parecia ter levado às pessoas a calarem-se diante de uma narrativa tão animada.

(D) Não sem propósito, atribui o autor às crianças italianas características de comunicação que não se permitem às inglesas.

(E) O garoto inglês advertido pela senhora, desistiu da ênfase dos gestos e passou aquela que se dá nos limites do discurso verbal.

RESPOSTA.

Questões de Interpretação do Texto 'Gestos e palavras' para Concurso com Gabarito Questões de Interpretação do Texto 'Gestos e palavras' para Concurso com Gabarito Reviewed by Redação on setembro 25, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.