USP 2019: As técnicas de inserção incremental dos compósitos

USP 2019: As técnicas de inserção incremental dos compósitos

(A) objetivam unir o maior número de paredes para reduzir o estresse de polimerização, quando aplicadas nas faces proximais das cavidades Classe II.

(B) devem utilizar maior área aderida em relação à área livre de cada incremento para facilitar o escoamento do material.

(C) foram criadas para propiciar melhor relação entre as áreas aderida e livre, de modo a permitir melhor controle do estresse de polimerização.

(D)são responsáveis, quando aplicadas, pela redução da deformação de cada incremento.

(E) padronizam o uso de incrementos que sejam menores que 1 mm³.

QUESTÃO ANTERIOR:
USP 2019: As fraturas de terço médio da face incluem aquelas que afetam a maxila, o zigoma e o complexo naso‐órbito‐etmoidal e são classificadas em LeFort I, II e III.

RESPOSTA:
(C) foram criadas para propiciar melhor relação entre as áreas aderida e livre, de modo a permitir melhor controle do estresse de polimerização.

PRÓXIMA QUESTÃO:
- USP 2019: A classificação das lesões cariosas e cavidades dentárias criada por Black

PESQUISAR OUTRA QUESTÃO

Comentários