(UNICAMP 2019) Parábola: s.f. Narrativa alegórica que evoca, por comparação, valores de ordem superior

(UNICAMP 2019) “Parábola: s.f. Narrativa alegórica que evoca, por comparação, valores de ordem superior, encerra lições de vida e pode conter preceitos morais ou religiosos.”
(Caldas Aulete, Dicionário Aulete digital.
Disponível em www.aulete.com.br/parabola.
Acessado em 12/07/2018.)

a) Considera-se que a novela “A hora e vez de Augusto Matraga” tem semelhanças com o gênero parábola. Justifique essa afirmação com base em elementos da cena final da narrativa, relacionando-os com a definição apresentada.

b) A identidade da personagem Augusto Matraga passa por um processo de transformação ao longo da narrativa. Tal processo é deflagrado por um evento que divide a vida do protagonista em duas fases. Indique o evento responsável por esse processo de transformação da personagem e explique de que maneira ele afetou a sua identidade.

QUESTÃO ANTERIOR:
Prova da 1ª Fase

RESOLUÇÃO:
a) Parábola é uma narrativa simbólica que transmite um sentido moral indireto por analogia. Nesse conto, a trajetória do protagonista denota e também conota a busca por um significado existencial redentor. Na cena final, Augusto Esteves da Pindaíba morre no combate com o chefe jagunço Joãozinho Bem-Bem, mar tirizandose para salvar uma família da vingança de Joãozinho.

Esse sacrifício serve também para o protagonista redimir-se, encontrando a sua “hora e vez”, sua “homência” por motivo de honra, fé e justiça. Essa estória, fábula, conota a redenção do ser humano e também é um subtexto da martirização de Jesus, pois Matraga é o “Homem do Jumento”, expressão que remete à entrada de Cristo, montado num burro, no domingo de Ramos, em Jerusalém.

b) O evento narrativo que altera radicalmente a vida de Augusto Esteves, dividindo-a em duas fases, é o linchamento quase mortal que sofre dos capangas do Major Consilva. A partir desse acontecimento humi lhante e quase mortal, o protagonista perde todo o seu poder, deixando de ser o proprietário rural opressor que agia de maneira desregrada e violenta, só pensando em si, desprezando todos.

Depois da derrocada, aprende a moderar seu gênio e, em nome da salvação de sua alma, passa a agir preocupado exclusivamente com o próximo, procurando penitenciar-se, no trabalho árduo e na reza intensa. Em resumo, troca o egoísmo prepotente pelo altruísmo servil, penitente.

PRÓXIMA QUESTÃO:
- (UNICAMP 2019) Atrás dos olhos das meninas sérias

PESQUISAR OUTRA QUESTÃO

Comentários