UDESC 2019: Analise as proposições em relação à obra Crônicas para jovens, Marina Colasanti, à crônica PORQUE NÃO ERA UMA FOLHA MORTA

UDESC 2019: QUESTÃO 38 - PORTUGUÊS E LITERATURA

Texto 1

PORQUE NÃO ERA UMA FOLHA MORTA

Havia uma folha morta no peitoril da janela do meu quarto, entre a vidraça e os gerânios. Uma folha escura. E indo regar as plantas, quis limpar aquele espaço e empurrei de leve com a pazinha de jardinagem.

Mas havia um peso na folha, uma densidade mole que não sendo resistência também não era entrega. E olhando mais atentamente vi que dela uma extremidade se alongava para um lado, e que na ponta daquele prolongar havia filamentos que, sim, olhando mais de perto, sim, eram pequeníssimas garras. E aquilo que havia visto como pedúnculo pareceu-me uma breve cauda.

Tomada de súbito asco percebi que não era uma folha morta, era um morcego.

Todos os morcegos da infância pareceram esvoaçar ao meu redor. E fui de novo menina de camisola num quarto grande de paredes claras, olhando fascinada o longo bambu que uma mulher agitava enquanto a negra forma alada tentava escapar com rápidos desvios. Só um bambu que gira, havia aprendido para sempre, anula o radar do morcego e pode abatê-lo.
Colasanti, Marina. Crônicas para jovens.
1ª ed. São Paulo: Global, 2012. p. 25.

QUESTÃO 38
UDESC 2019: Analise as proposições em relação à obra Crônicas para jovens, Marina Colasanti, à crônica PORQUE NÃO ERA UMA FOLHA MORTA, ao Texto 1, e assinale a alternativa incorreta.

A. ( ) Na obra, a autora apresenta alguns temas de contestação à sociedade contemporânea, com o objetivo de denunciar o subdesenvolvimento, revelando a miséria material, física e moral do homem brasileiro.

B. ( ) A leitura do período " enquanto a negra forma alada tentava escapar com rápidos desvios” (linhas 12 e 13) leva o leitor a inferir a tentativa de fuga do morcego, devido ao som produzido pelos giros do bambu.

C. ( ) Nos períodos “Havia uma folha morta no peitoril da janela do meu quarto” (linha 1) e “E aquilo que havia visto como pedúnculo” (linha 7) se as palavras destacadas forem, sequencialmente, substituídas por parapeito e haste não incidirá alteração de sentido, no texto.

D. ( ) Da leitura da crônica, depreende-se o sentimento de respeito, que a autora procura revelar, pelo mamífero que invadira um espaço da casa dela.

E. ( ) A leitura da crônica, de forma subliminar, revela a preocupação da autora para não despertar os alados negros e mamíferos por quem ela nutria um sentimento de fascínio, repulsa e medo.

QUESTÃO ANTERIOR:
UDESC 2019: Analise as proposições em relação à crônica de Marina Colasanti, PORQUE NÃO ERA UMA FOLHA MORTA, e ao Texto 1.

GABARITO:
A. ( ) Na obra, a autora apresenta alguns temas de contestação à sociedade contemporânea, com o objetivo de denunciar o subdesenvolvimento, revelando a miséria material, física e moral do homem brasileiro.

PRÓXIMA QUESTÃO:
- UDESC 2019: Analise as proposições em relação à crônica de Marina Colasanti, PORQUE NÃO ERA UMA FOLHA MORTA, ao Texto 1 e assinale (V) para verdadeira e (F) para falsa.

QUESTÃO DISPONÍVEL EM:
Prova UDESC 2019 (MANHÃ); Questões com gabarito

PESQUISAR OUTRA QUESTÃO

Comentários