Assinale a alternativa que analisa corretamente a letra da música Tocando em Frente, de Almir Sater e Renato Teixeira

UFGD 2022 - QUESTÃO 13
Texto I 
TOCANDO EM FRENTE 

Almir Sater e Renato Teixeira
Ando devagar porque já tive pressa
Levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei
Eu nada sei

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Penso que cumprir a vida seja simplesmente
Compreender a marcha e ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada eu vou
Estrada eu sou
[...]

Todo mundo ama um dia
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
E no outro vai embora
Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz
[...]
Disponível em: https://www.cifraclub.com.br/almir-sater/tocando-em-frente/.
Acesso em: 28 out. 2021.

Texto II
EU LÍRICO [VOZ POÉTICA]
[...] a poesia, na sua origem, se encontra estreitamente ligada à musicalidade. [...] o “eu” que fala nos versos é “lírico”, ou seja, é um termo que se refere, dentro do contexto da teoria da literatura, à análise de textos escritos em verso; pode ser entendido como a expressão de um “eu” do autor ou de um “eu” fictício, potencializando dinâmicas que conferem, naturalmente, duas avaliações influentes na análise literária. […] Compreende-se que o mundo literário exterioriza, a partir de técnicas artísticas, a sua “irrealidade”, que enquanto “real” produz emoções. Mas é importante entender a função que o irreal exerce na realidade que lhe é extrínseca; essa “realidade irreal” proporciona ao sujeito poético um caráter de autonomia, visto que se erige a partir de um escritor que lhe conferiu emoções e traços que lhe darão autoridade enquanto sujeito artístico do enunciado, índices esses que podem, ou não, ser equivalentes à personalidade do autor da obra de arte. 

NARRADOR
O narrador é a instância da narrativa que transmite um conhecimento, narrando-o. Qualquer pessoa que conta uma história é um narrador. [...] O narrador faz parte da narrativa. Ele assume a função de um ator na diegese, pode apresentar-se sob a forma do pronome pessoal “eu” [...]; adaptar a identidade de um nome próprio [...] ou manter uma mera voz narrativa, como no caso dos contos populares em que a voz do narrador se faz sentir através da simplicidade de “Era uma vez uma bela princesa que vivia […]”. Em qualquer dos casos, trata-se de um sujeito com existência textual, “ser de papel”, como lhe chamou Barthes, e tem como função relatar eventos que constituem as alterações de estados sofridas por agentes antropomórficos, ou não, e situados no espaço empírico da narrativa.
NARRADOR. In: E-Dicionário de Termos Literários de Carlos Ceia. Lisboa:
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, 2021. Disponível em: https://edtl.fcsh.unl.pt/
encyclopedia/narrador/. Acesso em: 28 out. 2021.

Assinale a alternativa que analisa corretamente a letra da música Tocando em Frente, de Almir Sater e Renato Teixeira.

(A) A reflexão suscitada pelo eu lírico ultrapassa os limites da regionalidade da música sertaneja raiz, sendo a canção uma analogia de aspecto universal a respeito do autoconhecimento e da contínua aprendizagem nas diversas fases da vida de qualquer pessoa, como proposto nos versos: “Cada um de nós compõe a sua história, cada ser em si carrega o dom de ser capaz e ser feliz”.

(B) Os conceitos “Só levo a certeza de que muito pouco eu sei; Eu nada sei” trazem uma correspondência intertextual com o pensamento de Sócrates, pois o narrador lírico reforça a ideia de que o velho boiadeiro é capaz de solucionar as mazelas do agronegócio, já que conta com uma inteligência emocional e inúmeros projetos sociais para as rodovias brasileiras.

(C) A voz poética apresenta uma reflexão pessoal (eu), mas, também, regional e universal sobre o autoconhecimento do velho boiadeiro que precisa encontrar o equilíbrio e domar a boiada, para seguir a vida, ou seja, tocar os dias pela longa estrada, como nos versos: “Ando devagar porque já tive pressa; Levo esse sorriso porque já chorei demais”.

(D) A voz poética narrativa representa mentalmente o contexto geográfico e político do atual homem do campo, que de forma peculiar vivencia o fluxo da vida e da natureza, sendo capaz de “[...] Conhecer as manhas e as manhãs; O sabor das massas e das maçãs”, pois “[...] É preciso paz pra poder sorrir; É preciso a chuva para florir”.

(E) Os narradores sul-mato-grossenses, Almir Sater e Renato Teixeira, propõem uma lírica musical introspectiva que apresenta em cada estrofe a humilde contemporaneidade do homem do campo frente às mudanças industriais: “Penso que cumprir a vida seja simplesmente compreender a marcha e ir tocando em frente”.

QUESTÃO ANTERIOR:

GABARITO:
(A) A reflexão suscitada pelo eu lírico ultrapassa os limites da regionalidade da música sertaneja raiz, sendo a canção uma analogia de aspecto universal a respeito do autoconhecimento e da contínua aprendizagem nas diversas fases da vida de qualquer pessoa, como proposto nos versos: “Cada um de nós compõe a sua história, cada ser em si carrega o dom de ser capaz e ser feliz”.

RESOLUÇÃO:
Não temos resolução para essa questão! Você sabe explicar? Copie o link dessa página e envie sua resolução clicando AQUI!

PRÓXIMA QUESTÃO:

QUESTÃO DISPONÍVEL EM:

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.