Questões Português UEL 2018 com Gabarito e Resolução

Questões Português UEL 2018  com Gabarito e Resolução
(Universidade Estadual de Londrina)

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURAS EM LÍNGUA PORTUGUESA

Leia os poemas a seguir, de Carlos Drummond de Andrade, e responda às questões de 1 a 7.

Sentimental
Ponho-me a escrever teu nome
com letras de macarrão.
No prato, a sopa esfria, cheia de escamas
e debruçados na mesa todos contemplam
esse romântico trabalho.
Desgraçadamente falta uma letra,
uma letra somente
para acabar teu nome!
– Está sonhando? Olhe que a sopa esfria!
Eu estava sonhando...
E há em todas as consciências um cartaz amarelo:
“Neste país é proibido sonhar”.

Poema do jornal
O fato ainda não acabou de acontecer
e já a mão nervosa do repórter
o transforma em notícia.
O marido está matando a mulher.
A mulher ensanguentada grita.
Ladrões arrombam o cofre.
A polícia dissolve o meeting.
A pena escreve.
Vem da sala de linotipos a doce música mecânica.

Poesia
Gastei uma hora pensando um verso
que a pena não quer escrever.
No entanto ele está cá dentro
inquieto, vivo.
Ele está cá dentro
e não quer sair.
Mas a poesia deste momento
inunda minha vida inteira.
(ANDRADE, Carlos Drummond de. Alguma poesia.
São Paulo: Companhia das Letras, 2013. p. 35; 41; 45).

QUESTÃO 01
UEL 2018: Quanto a “Sentimental”, assinale a alternativa correta.

a) Trata-se da variação de um soneto, com o mesmo número de versos e com a manutenção de métrica e rima, normalmente utilizadas na forma clássica.

b) A referência a “escamas” distancia o poema das práticas modernistas que privilegiam a incorporação de elementos prosaicos.

c) A frase “Está sonhando?” é uma pergunta feita pelo sujeito lírico a outro ser que insistia em escrever o nome da pessoa amada com letras de macarrão.

d) Os dois últimos versos da primeira estrofe confirmam a sintonia entre o ato de escrever o nome da amada, as pessoas ao redor da mesa e a vida real do presente.

e) O “romântico trabalho” é comprometido pela falta de uma letra, indício de que a concretização do sonho enfrenta obstáculos no mundo real.

Resposta.

QUESTÃO 02
UEL 2018: Sobre o sujeito lírico em cada um dos três poemas, considere as afirmativas a seguir.

I. O registro de alterações nos sentimentos dos sujeitos líricos é mais marcado no sujeito lírico de “Sentimental” do que no sujeito lírico de “Poesia”.

II. O apego à vida material é mais externado pelo sujeito lírico de “Sentimental” do que pelo sujeito lírico de “Poesia”.

III. As inquietações do sujeito lírico de “Poesia” estão mais vinculadas ao caráter introspectivo, enquanto em “Poema do jornal” sobressaem cenas cotidianas.

IV. A subjetividade no sujeito lírico de “Poema do jornal” é mais evidente do que aquela expressa no sujeito lírico de “Sentimental”.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Resposta.

QUESTÃO 03
UEL 2018: Sobre o nome da pessoa escrito com letras de macarrão e o cartaz amarelo, presentes em “Sentimental”, e a notícia e a doce música mecânica, citados em “Poema do jornal”, considere as afirmativas a seguir.

I. O nome da pessoa escrito com letras de macarrão e a doce música mecânica são demonstrações de que o espírito romântico podou os excessos modernistas.

II. A doce música mecânica é uma imagem que alivia as tensões proporcionadas pelo cartaz amarelo, indicando que o trânsito entre sonho e realidade nos dois poemas é invertido.

III. O cartaz amarelo e a notícia são evidências que contêm o reconhecimento de que a vida moderna é pontuada pela urgência do mundo real.

IV. A notícia está em desacordo com a atmosfera de devaneio experimentada no ato de escrever o nome da pessoa amada com letras de macarrão.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Resposta.

QUESTÃO 04
UEL 2018: Sobre os termos “já” e “nervosa”, presentes no segundo verso de “Poema do jornal”, considere as afirmativas a seguir.

I. O termo “já” é ligeiramente antecipado, pois se refere à transformação em notícia, mas essa antecipação garante maior ênfase à questão do tempo como marca expressiva do poema.

II. O termo “nervosa” contém, a princípio, um significado divergente do adjetivo “doce”, mas ambos os termos são associados com a agitação e a aceleração do cotidiano moderno.

III. O termo “já” é empregado como contraponto ao termo “ainda”, utilizado no verso anterior, embora ambos estejam subordinados ao fato citado no verso inicial.

IV. O termo “nervosa” indica que o repórter, assim como o poeta e como o sujeito lírico, exibe o desconforto para administrar emoções no acompanhamento da vida moderna.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Resposta.

QUESTÃO 05
UEL 2018: Acerca das funções exercidas pelos termos de “Poema do jornal”, assinale a alternativa correta.

a) O termo “o” (terceiro verso) retoma o termo “repórter” e integra o sujeito da forma verbal “transforma”.

b) O termo “notícia” (terceiro verso) é um complemento nominal: complementa “repórter”, substituído por “o”.

c) O termo “mão” (segundo verso) é adjunto adnominal do sujeito “repórter”.

d) A expressão “doce música mecânica” (nono verso) é sujeito do verbo que aparece no mesmo verso.

e) O termo “pena” (oitavo verso) é complemento antecipado do verbo que aparece no mesmo verso.

Resposta.

QUESTÃO 06
UEL 2018: Sobre o poema “Poesia”, assinale a alternativa correta.

a) Há uma equivalência entre o tempo dispendido (uma hora) ao pensar um verso e o longo efeito deste ato (a vida inteira inundada), quando o poema citado pelo sujeito lírico se torna completo.

b) O uso de conjunção adversativa no penúltimo verso remete à situação de que o tempo gasto com um único verso afinal foi responsável pela angústia da falta de inspiração.

c) O poema desmistifica práticas poéticas de outrora, ao salientar que o trabalho linguístico lento e cerebral danifica a dinâmica da criação e esvazia os sentidos da literatura modernista.

d) As ideias de inquietação e de estar vivo devem ser atribuídas ao verso, como imagens opostas entre si, embora reflitam o estado de espírito do sujeito lírico consumido pela reflexão sobre o ato poético.

e) O fato de ser ressaltado que o verso “não quer sair” reitera a condição de inquietação com que se move o processo de criação poética, sem prejuízo da grandiosidade do ato.

Resposta.

QUESTÃO 07
UEL 2018: O termo “pena”, utilizado no segundo verso de “Poesia”, tem o significado de peça que se adapta à caneta, ou é a própria caneta, ou ainda corresponde ao instrumento com que se escreve. A palavra, porém, tem outros sentidos dicionarizados.

Assinale a alternativa em que se estabelece a correta correlação entre a palavra empregada no poema e os demais sentidos.

a) O sentido de “sanção aplicada como punição ou como reparação por uma ação julgada repreensível” é válido, pois o sujeito lírico lastima ter gasto muito tempo com a elaboração de um verso.

b) O significado de “sofrimento; aflição” é inviável, pois a euforia com o êxito da concretização do poema está desvinculada de um estado de espírito perturbado do sujeito lírico.

c) O uso do termo com o sentido de “tristeza, amargura, pesar” cabe, pois este estado de espírito se sobrepõe à expressão da satisfação fugaz que acomete o sujeito lírico.

d) O sentido de “castigo, condenação, penitência” deve ser descartado, pois é superado pela carga de emoção confessada pelo sujeito lírico em seu processo de reflexão sobre a composição poética.

e) O significado de “compaixão, piedade, comiseração” é cabível, pois o apego à ironia é preterido pela adesão ao sentimentalismo, como estratégia do sujeito lírico para se afastar das práticas românticas.

Resposta.

Leia o fragmento do conto “A fogueira”, de Mia Couto, e responda às questões de 8 a 13.

O velho adormeceu, a mulher sentou-se à porta. Na sombra do seu descanso viu o sol vazar, lento rei das luzes. Pensou no dia e riu-se dos contrários: ela, cujo nascimento faltara nas datas, tinha já o seu fim marcado. Quando a lua começou a acender as árvores do mato ela inclinou-se e adormeceu. Sonhou dali para muito longe: vieram os filhos, os mortos e os vivos, a machamba encheu-se de produtos, os olhos a escorregarem no verde. O velho estava no centro, gravatado, contando as histórias, mentira quase todas. Estavam ali os todos, os filhos e os netos. Estava ali a vida a continuar-se, grávida de promessas. Naquela roda feliz, todos acreditavam na verdade dos velhos, todos tinham sempre razão, nenhuma mãe abria a sua carne para a morte. Os ruídos da manhã foram-na chamando para fora de si, ela negando abandonar aquele sonho, pediu com tanta devoção como pedira à vida que não lhe roubasse os filhos.

Procurou na penumbra o braço do marido para acrescentar força naquela tremura que sentia. Quando a sua mão encontrou o corpo do companheiro viu que estava frio, tão frio que parecia que, desta vez, ele adormecera longe dessa fogueira que ninguém nunca acendera.
(Adaptado de: COUTO, Mia. A fogueira. In: Vozes anoitecidas.
São Paulo, Companhia das Letras, 2013. p. 25).

QUESTÃO 08
UEL 2018: No trecho, o final do conto é narrado, momento em que ocorre a morte de uma personagem. Considerando o trecho e o conto, assinale a alternativa correta.

a) O título do conto, “A fogueira”, é essencial para a compreensão do trecho, pois é a mulher que delira com a fogueira inicialmente.

b) Os filhos do casal assistiam sem piedade à condenação da mãe à morte imposta pelo pai.

c) É possível traçar uma comparação entre o velho e a fogueira de que trata o título, já que o velho manteve-se forte até o final da história.

d) A mulher mantém-se sempre esperançosa, resistindo, no desfecho do conto, ao fim que se anunciou em trechos anteriores.

e) O trecho é marcado pela mescla de sonho e realidade, assim como a fogueira que existe, embora se desconheça quem a acendeu.

Resposta.

QUESTÃO 09
UEL 2018: Acerca das personagens apresentadas no conto, considere as afirmativas a seguir.

I. O velho revela-se autoritário, desajeitado e falante, considerando suas atitudes ao longo do conto.

II. A mulher mostra-se inteligente, pacata e resignada diante dos acontecimentos que estão por vir.

III. A Morte é a personagem rancorosa, que aguarda o desfecho e o dia marcados para levar alguém.

IV. Os filhos do casal são indiferentes aos pais, o que dificulta a salvação da mulher ao final do conto.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Resposta.

QUESTÃO 10
UEL 2018: Sobre a linguagem utilizada no texto, considere as afirmativas a seguir.

I. O termo “vazar” está em desacordo com a linguagem formal apresentada ao longo do conto.

II. O significado do termo “machamba” consta do glossário da edição brasileira, pois está vinculado à linguagem coloquial do português falado no Brasil.

III. O termo “gravatado” indica o vestuário do marido, sem que isso signifique formalidade na linguagem empregada pelo narrador.

IV. A expressão “os todos” foi usada para enfatizar a presença, naquele momento, das pessoas que ela mais amava.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Resposta.

QUESTÃO 11
UEL 2018: Acerca das figuras de linguagem usadas no trecho, assinale a alternativa correta.

a) Há metáfora em “a vida a continuar-se, grávida de promessas”, revelando o desejo e o ânimo para a sobrevivência.

b) Há personificação em “a lua começou a acender as árvores”, pois as árvores já estavam iluminadas pelo sol.

c) Ocorre antítese no trecho “riu-se dos contrários” pela indicação de ideias opostas em evidência.

d) Ocorre ironia em “Naquela roda feliz”, pois os presentes já estavam consternados pela morte do familiar.

e) Há eufemismo em “cujo nascimento faltara nas datas”, indicando a morte iminente da personagem.

Resposta.

QUESTÃO 12
UEL 2018: Sobre a pontuação utilizada no texto, considere as afirmativas a seguir.

I. Em “ela, cujo nascimento faltara nas datas, tinha já o seu fim marcado”, as vírgulas separam uma oração de sentido explicativo.

II. O deslocamento dos dois pontos (linha 4) para após o trecho “vieram os filhos” não causaria prejuízo à coesão do período.

III. Em “vieram os filhos, os mortos e os vivos, a machamba encheu-se de produtos”, as duas vírgulas indicam enumeração.

IV. No trecho “tão frio que parecia que, desta vez, ele adormecera longe dessa fogueira” (linhas 11 e 12), as vírgulas marcam intercalação de locução temporal.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Resposta.

QUESTÃO 13
UEL 2018: Acerca do trecho “O velho adormeceu, a mulher sentou-se à porta”, assinale a alternativa que apresenta, corretamente, o conectivo que pode ser inserido no lugar da vírgula, sem alterar o sentido original do período.

a) porém
b) portanto
c) e
d) quando
e) visto que

Resposta.

Leia o texto, a seguir, e responda às questões de 14 a 16.

Cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) descobriram uma forma de diagnosticar e tratar o Mal de Alzheimer, doença degenerativa que mais afeta pessoas no mundo, especialmente na velhice. Em animais, o método interrompeu o processo de perda de funções do cérebro causado pela doença. A descoberta foi um dos destaques na revista Journal of Neuroscience, uma das principais publicações científicas. De acordo com reportagem do jornal O Globo, o alvo do estudo foram os astrócitos, tipo de célula cerebral considerada secundária até há alguns anos. Sem eles, as mensagens químicas que fazem o cérebro comandar o organismo não são enviadas.

As mensagens químicas são destruídas por uma substância inflamatória chamada oligômero ab e os pesquisadores descobriram que eles atacam os astrócitos. O resultado é que as células deixam de produzir uma substância essencial para a comunicação chamada TGF-b1, uma molécula que pode ser sintetizada e, quando dada aos camundongos, fez com que a memória deles voltasse. “O que descobrimos não significa a cura, mas uma estratégia para conter o avanço da doença. Também pode ser um indicador do Alzheimer, quando as perdas de função cognitiva ainda não são evidentes”, disse ao GLOBO a coordenadora do estudo, Flavia Alcântara Gomes, do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro 15 (ICB/UFRJ).
(Disponível em: <https://br.noticias.yahoo.com/cientistas-brasileiros-descobrem-maneira-de-deter-o-mal-de-alzheimer-185422617.html>. Acesso em: 23 jun. 2017.)

QUESTÃO 14
UEL 2018: Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, um fato confirmado pelo texto.

a) Cientistas brasileiros descobriram a cura do mal de Alzheimer.
b) A pesquisa serve como medida preventiva da doença.
c) O Alzheimer é uma doença degenerativa, de origem inflamatória.
d) A pesquisa da UFRJ é pioneira no mundo.
e) O Brasil é líder mundial do mal de Alzheimer.

Resposta.

QUESTÃO 15
UEL 2018: Sobre os recursos linguístico-semânticos utilizados no texto, considere as afirmativas a seguir.

I. As aspas revelam o depoimento da pesquisadora e indicam o discurso direto.
II. As informações entre parênteses são indispensáveis, pois acrescentam dados imprescindíveis.
III. A palavra “quando”, destacada no texto, apresenta um sentido condicional.
IV. O termo “eles”, destacado no texto, concorda com a ideia de plural do seu referente.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Resposta.

QUESTÃO 16
UEL 2018: Em relação aos recursos linguísticos e morfossintáticos do texto, considere o trecho a seguir.

De acordo com reportagem do jornal O Globo, o alvo do estudo foram os astrócitos, tipo de célula cerebral considerada secundária até há alguns anos. Sem eles, as mensagens químicas que fazem o cérebro comandar o organismo não são enviadas.

Assinale a alternativa correta.

a) O sujeito do verbo “foram” está implícito, já que é impossível identificá-lo na oração.
b) A expressão “tipo de célula cerebral considerada secundária” é um aposto do termo anterior.
c) O uso do termo “até” junto à palavra “há” é inadequado, segundo a norma padrão da língua.
d) O pronome “eles” faz referência aos “pesquisadores”, citados anteriormente no texto.
e) O termo “que” pode ser substituído por “o qual”, pois retoma “o cérebro”.

Resposta.

Leia o trecho a seguir, retirado do livro O Ateneu, e responda às questões de 17 a 20.

Tínhamos lutado em silêncio, sem que nada mais se ouvisse do que os encontrões pelo soalho. No corredor, entretanto, vimos Aristarco que chegava como em socorro. Bento Alves passou; imobilizou-o com o olhar sem vista, esgazeado, medonho, de quem acaba de perpetrar um homicídio e desapareceu, trôpego, manchado de pó, lábios inflamados, desordem nos cabelos.

Aristarco veio sobre mim. Que explicasse a briga! Eu estava como o adversário, empoeirado e sujo como de rolar sobre escarros.

Respondi-lhe com violência.

“Insolente”! rugiu o diretor. Com uma das mãos prendendo-me a blusa, a estalar os botões, com a outra pela nuca, ergueu-me ao ar e sacudiu. “Desgraçado! desgraçado, torço-te o pescoço! Bandalhozinho impudente! Confessa-me tudo ou mato-te.”

Em vez de confessar, segurei-lhe o vigoroso bigode. Fervia-me ainda a excitação do primeiro combate; não podia olhar conveniências de respeito. Esperneei, contorci-me no espaço como um escorpião pisado. O diretor arremessou-me ao chão. E, modificando o tom, falou: “Sérgio! ousaste tocar-me!”

– Fui primeiro tocado! repliquei fortemente.
– Criança! feriste um velho!

Reparei que havia no chão fios brancos de bigode.

– Fui vilmente injuriado, disse.
– Ah! meu filho, ferir a um mestre é como ferir ao próprio pai, e os parricidas serão malditos.

O tom comovido deste final inesperado impressionou-me até o íntimo d’alma. Estava vencido. Fiquei por um minuto horrorizado de mim mesmo. De volta do atordoamento, achei-me só no corredor. A saída dramática do diretor aumentou-me ainda remorsos. Houve uma reação de esforço moral e desatei nervosamente em pranto, chorei a valer, amparando-me ao peitoril de uma janela.

Contava certo com um castigo excepcional, uma cominação qualquer do célebre código do arbítrio, em artigo cujo grau mínimo fosse a expulsão solene.

Esperei um dia, dois dias, três: o castigo não veio. Soube que Bento Alves despedira-se do Ateneu na mesma tarde do extraordinário desvario. Acreditei algum tempo que a minha impunidade era um caso especial do afamado sistema das punições morais e que Aristarco delegara ao abutre da minha consciência o encargo da sua justiça e desafronta. Hoje penso diversamente: não valia a pena perder de uma vez dois pagadores prontos, só pela futilidade de uma ocorrência, desagradável, não se duvida, mas sem testemunhas.

O caso morreu em segredo de discrição, encontrando-nos eu e o diretor num conchavo bilateral de reserva, como se nada houvesse.
(POMPEIA, Raul. O Ateneu. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. p. 200-202).

QUESTÃO 17
UEL 2018: Quanto às circunstâncias da briga entre o protagonista e Bento Alves, assinale a alternativa correta.

a) Teve origem no ciúme de Bento Alves pela amizade de Sérgio com Egbert.
b) Foi provocada pelas ironias de Bento Alves após a morte de Franco.
c) Foi desencadeada pela disputa entre os dois pela atenção de Ângela.
d) Teve como consequência as contusões de Sérgio, que foram tratadas por Ema.
e) Foi imprevista, pois Bento Alves fora amigo íntimo de Sérgio, assim como Sanches.

Resposta.

QUESTÃO 18
UEL 2018: Acerca das relações entre o romance e os estilos de época, considere as afirmativas a seguir.

I. O desmascaramento de Aristarco como um adulto que deixa de se guiar apenas pela retidão reflete o vínculo do romance com o Realismo.

II. O destemor do protagonista diante de colegas que representam a perversidade e sua ausência de nobreza perante autoridades aproximam o romance do Romantismo.

III. Os remorsos do protagonista e sua convicção no arrependimento, após o atrito com o diretor, mostram a identificação do romance com o Naturalismo.

IV. A representação do ambiente escolar como local em que a justiça é superada por interesses financeiros remete o romance à focalização de valores conforme certas práticas da ficção modernista.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Resposta.

QUESTÃO 19
UEL 2018: No segundo parágrafo do trecho transcrito, Sérgio apresenta-se como “empoeirado e sujo como de rolar sobre os escarros”. A sujeira do protagonista é física, portanto, o adjetivo tem o sentido denotativo. Contudo, a sensação de sujeira pode ser estendida a outras circunstâncias relacionadas ao trecho e ao romance. Neste sentido, considere as afirmativas a seguir.

I. O reconhecimento de tratamento diferente aos dois alunos denota, no narrador-personagem, a percepção de que a administração agiu de forma suja.

II. Os remorsos de Sérgio e as reprimendas de Aristarco, após o episódio com o diretor, levam o protagonista a sentir-se sujo.

III. O sentimento de sujeira experimentado pelo protagonista está vinculado ao fato de imputar a culpa no episódio ao colega Bento Alves.

IV. O desconforto do protagonista aproxima-se da sensação de sujeira após as relações homossexuais praticadas com os colegas e descritas com detalhes no romance.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Resposta.

QUESTÃO 20
UEL 2018: É evidente, no penúltimo parágrafo do trecho transcrito, a presença de dois tempos: o tempo da história e o tempo do discurso. Assinale a alternativa correta quanto a estes tempos.

a) Em ambos os tempos, o narrador-personagem manifesta sua admiração pelos procedimentos de Aristarco.

b) A diferença entre os dois tempos é que Sérgio demorou, mas se arrependeu da atitude que teve quando era aluno da escola.

c) A diferença entre os dois tempos é que Sérgio conviveu com remorsos durante longo tempo, mas depois se eximiu de culpa pelo episódio.

d) A diferença entre os dois tempos é que Sérgio demora a perdoar Aristarco, mas decide, mais tarde, absolvê-lo da acusação de injusto.

e) A diferença é que Sérgio demora a entender a decisão de Aristarco, mas, quando adulto, interpreta o episódio sob a perspectiva do dinheiro.

Resposta.

Questões Português UEL 2018 com Gabarito e Resolução Questões Português UEL 2018  com Gabarito e Resolução Reviewed by Redação on agosto 07, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.