(UPE 2020) A postura do intelectual pernambucano Gilberto Freyre, relativa às constantes mudanças de estratégia política

(UPE 2020) A postura do intelectual pernambucano Gilberto Freyre, relativa às constantes mudanças de estratégia política, configura, de fato, uma ambiguidade na definição de sua posição ante os processos de centralização política e de industrialização na Era Vargas. Sua obra, assim como a dos outros intelectuais atuantes nesse contexto, reagiu, com certa ambiguidade, ao centralismo de Vargas e ao seu projeto modernizador.
MESQUITA, Gustavo. Gilberto Freyre e o Estado Novo:
a trajetória de uma relação ambígua. Cadernos do Desenvolvimento, Rio de
Janeiro, v. 8, n. 12, p. 208, jan.-jun. 2013. (Adaptado)

O posicionamento político do intelectual citado foi de oposição a Vargas em 1937, em razão da

a) não adesão dos militares ao Estado Novo.

b) luta nacional contra o regionalismo cultural.

c) luta pelo centralismo como modelo para o Nordeste.

d) formação de bloco econômico com a Alemanha Nazista.

e) construção de um governo autoritário com influência do exército.

QUESTÃO ANTERIOR:
(UPE 2020) Construído a partir de um golpe político-militar e, portanto, carente de legitimidade, o regime inaugurado por Vargas em 1930 disseminou, por toda a sociedade, uma produção de cunho político e cultural, que afirmava a necessidade histórica do novo governo.

GABARITO:
e) construção de um governo autoritário com influência do exército.

PRÓXIMA QUESTÃO:
- (UPE 2020) Quais as principais causas sociopolíticas do movimento retratado pela charge?

QUESTÃO DISPONÍVEL EM:
Prova UPE 2020 (3ª fase, 1º e 2º dia) com Gabarito

PESQUISAR OUTRA QUESTÃO

Comentários