UEM 2020: De acordo com o texto, o autor


TEXTO

Zoom

(Antonio Prata)

Uma reunião por computador é paradoxalmente
mais distante e mais próxima do que um encontro
presencial. Mais distante por razões óbvias: as pessoas
estão reduzidas a duas dimensões, presas em
quadradinhos numa tela. Por outro lado, somos
brindados com uma pequena moldura de intimidade
alheia que não seria revelada em torno da mesa de um
escritório.

Vemos a sala ou o quarto dos outros. A estante de
livros. Vejo uma boina pendurada no cabide de um
colega de trabalho que eu julgava discreto e austero.
Em que ocasião ele usa essa boina? Será que meu
colega não é careta e austero coisa nenhuma e aos
domingos veste a boina, acende um cachimbo e pinta
telas com nus gigantes?

Além da moldura domiciliar, há mais intimidade
no Zoom pela liberdade de olharmos para onde
quisermos. Numa conversa presencial, devemos manter
os olhos colados nos olhos de quem fala. Numa
reunião via Zoom com 30 pessoas a gente pode
escolher qualquer dos quadradinhos e ficar ali
examinando o infeliz, reparando em suas orelhas, seus
óculos, suas expressões. (Faça isso presencialmente e
você vai soar como tarado ou serial killer. Ou serial
killer tarado.)

Com algumas semanas de quarentena, a escola dos
meus filhos mandou as instruções de como seriam as
"aulas" dali em diante. Receberíamos apostilas e lições
por e-mail e algumas aulas seriam dadas on-line, a cada
semana, via Google Meet. Imaginei que as aulas on-
line não seriam problema, as crianças de cinco e seis
anos adorariam ver a professora e os colegas, mas que
eu teria dificuldade de colocá-los para fazer a lição de
casa.

Estava completamente equivocado. Os dois fazem
páginas e páginas de contas de mais e de menos e
preenchem toda a apostila de português sem problema,
mas quase sempre se recusam a entrar na aula on-line.
Li no New York Times uma matéria que me trouxe
hipóteses sobre as dificuldades dos meus filhos. O
texto falava da importância que damos, em nossas
interações sociais, às imediatas respostas faciais e
corporais das outras pessoas. A cada instante vamos
moldando nosso discurso pelos sorrisos, sobrancelhas
arqueadas ou braços cruzados dos nossos
interlocutores.

Numa reunião on-line cada um tem uma qualidade
de conexão diferente e as reações chegam
embaralhadas, às vezes com vários segundos de atraso.
Ficamos sem um feedback confiável sobre como estão
recebendo nossas informações.

É por isso, aliás, que a gente se atropela tanto numa
reunião on-line. Ao vivo, sabemos interpretar
perfeitamente o fluxo da conversa. Lemos no outro a
antecipação de uma pausa, num outro a intenção de
uma fala, num outro, ainda, a disposição para a briga.
Uma conversa de várias pessoas é uma sinfonia
emocional cuja partitura a seleção natural nos moldou,
por milhares de anos, para ler. Na reunião on-line, cada
um segue um metrônomo diferente.
Para as crianças, suponho, essa confusão é ainda
mais desagradável. Elas estão aprendendo a interagir
com os outros. As reações distintas passam a elas a
mensagem de que não estão sendo ouvidas com
interesse, de que estão sendo ignoradas ou mal
interpretadas.

O medo da criança no Zoom é o mesmo medo do
quarto escuro: ela preenche o que não consegue ver
com as suas angústias. Os pequenos narcisos que ainda
não conseguem enxergar direito seus rostos refletidos
no lago apavoram-se ao ver o reflexo ondulante, como
se uma pedra tivesse sido atirada na água. E quem
poderá afirmar que não foi?
(Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/amp/colunas/antonioprata/
2020/06/zoom.shtml. Acesso em: 07 dez 2020.)

UEM

QUESTÃO 26
UEM 2020: De acordo com o texto, o autor

01) reclama da interação on-line entre as pessoas, pois a plataforma Zoom é morosa e de conexão ruim.

02) afirma que, nas reuniões on-line via Zoom, as pessoas ficam presas em quadradinhos e sem intimidade umas com as outras.

04) afirma que, nas reuniões por computador, pode-se observar melhor o outro, o que seria mais difícil em uma reunião presencial.

08) reclama que, nas reuniões on-line, cada um tem uma qualidade de conexão diferente, o que dificulta a interação.

16) afirma que as reuniões por computador são ao mesmo tempo mais distantes e mais próximas do que um encontro presencial.

QUESTÃO ANTERIOR:

RESOLUÇÃO:
Não temos resolução para essa questão! Você sabe explicar? Copie o link dessa página e envie sua resolução clicando AQUI!

GABARITO:
04-08-16 = 28

PRÓXIMA QUESTÃO:

QUESTÃO DISPONÍVEL EM:

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.