Para o filósofo Aristóteles, o escravo seria “aquele que, por natureza, não pertence a si mesmo, senão a outro, sendo homem

UNIRG 2022.2 - QUESTÃO 53
Para o filósofo Aristóteles, o escravo seria “aquele que, por natureza, não pertence a si mesmo, senão a outro, sendo homem, esse é naturalmente escravo; é coisa de outro, aquele homem que, a despeito da sua condição de homem, é uma propriedade e uma propriedade sendo, de outra, apenas instrumento de ação, bem distinto do proprietário.”
(ARISTÓTELES. Política, Livro I, 4, 1253b 22ss Apud: PINSKY, Jaime.
100 Textos de História Antiga. São Paulo: Editora Contexto, 2006.)

Durante a História, observamos a escravidão em vários contextos históricos diferentes.

Dessa forma, é correto afirmar que, na Antiguidade,

(A) como na escravidão moderna, os escravizados eram indivíduos oriundos da África subsaariana, na maioria negros. Eram transportados em grandes navios, em condições insalubres.

(B) em todas as civilizações e períodos, a participação dos escravizados era pequena, frente à demanda de mão de obra. Normalmente eram utilizados para trabalhos domésticos.

(C) a escravidão era presente em várias civilizações, como na Grécia e em Roma. Milhares de pessoas, principalmente prisioneiros de guerra, eram transformados em escravos, tornando-se propriedade de outra pessoa.

(D) somente os hebreus foram escravizados, principalmente na Grécia e em Roma, onde eram utilizados como mão de obra na agricultura, nas obras públicas e nos serviços domésticos. 

QUESTÃO ANTERIOR:

GABARITO:
(C) a escravidão era presente em várias civilizações, como na Grécia e em Roma. Milhares de pessoas, principalmente prisioneiros de guerra, eram transformados em escravos, tornando-se propriedade de outra pessoa.

RESOLUÇÃO:
Não temos resolução para essa questão! Você sabe explicar? Copie o link dessa página e envie sua resolução clicando AQUI!

PRÓXIMA QUESTÃO:

QUESTÃO DISPONÍVEL EM:

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.