UNESP 2019: A vacina de DNA é composta por um plasmídeo que carrega um gene de interesse que codifica um antígeno

UNESP 2019: A vacina de DNA é composta por um plasmídeo que carrega um gene de interesse que codifica um antígeno. A administração da vacina pode ser com seringa, via intramuscular, ou pelo sistema gene gun, que consiste no disparo sobre a pele de microesferas metálicas recobertas com os plasmídeos modicados. Uma vez na célula, o gene é expresso no plasmídeo.


a) De quais organismos os plasmídeos são obtidos? Que moléculas biológicas são empregadas no corte dos plasmídeos para a inserção do gene de interesse?

b) Por que é necessário que o plasmídeo modificado entre no núcleo da célula para que a vacina funcione e promova a resposta imunológica?

QUESTÃO ANTERIOR:
-  UNESP 2019: O Batrachochytrium dendrobatidis é um fungo aquático considerado uma iminente ameaça aos anfíbios nas regiões tropicais.

RESOLUÇÃO:
a) Os plasmídeos são obtidos de bactérias. As proteínas denominadas enzimas (endonucleases) de restrição cortam a molécula de DNA em pontos específicos.

b) É necessário que o plasmídeo modificado entre no núcleo da célula porque é o DNA nuclear que comanda a síntese de proteínas, por exemplo, dos antígenos, para que a resposta imunológica funcione.

PRÓXIMA QUESTÃO:
- UNESP 2019: O Pezosiren portelli foi um mamífero quadrúpede terrestre, ancestral das espécies de peixe-boi atuais, que viveu há 50 milhões de anos.
UNESP 2019: A vacina de DNA é composta por um plasmídeo que carrega um gene de interesse que codifica um antígeno UNESP 2019: A vacina de DNA é composta por um plasmídeo que carrega um gene de interesse que codifica um antígeno Reviewed by Redação on janeiro 07, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.