(SLMandic 2019) Acerca das orações utilizadas na estruturação do texto e sua função sintática, são apresentadas as seguintes afirmações

UMA ABORDAGEM INTERCONECTADA

O aquecimento global e os padrões climáticos extremos são forças com impacto drástico sobre a saúde pública. Inundações, secas e tempestades intensificadas não mudam apenas a paisagem; também impactam de modo ativo como os seres humanos podem usar a terra e, em última instância, sobre onde podemos viver.

Enquanto os climatologistas correm para modelar o que mudou, para que as comunidades costeiras, por exemplo, possam se adaptar a mares em ascensão, os epidemiologistas também estão percebendo o quão crítico é desenvolver ferramentas para previsão de epidemias que incorporem padrões climáticos novos e iminentes. Em um mundo cada vez mais globalizado, essas pesquisas podem evitar um futuro de pandemias sem precedentes.

Esse tipo de abordagem abrangente, que requer dezenas de especialistas em epidemiologia, ecologia, climatologia, medicina, veterinária e entomologia, é tão cara quanto rara. Já em 400 a.C. Hipócrates entendeu que o meio ambiente, incluindo o clima, tem impacto nas doenças, mas reunir pesquisa multidisciplinar de modo sistemático, a fim de entender melhor sistemas complexos, é algo relativamente novo.

A falta de mais coordenações nesses moldes explica, em parte, por que a comunidade global de saúde ainda está tateando no que diz respeito a doenças emergentes. A Zika, por exemplo, embora tenha sido identificada pela primeira vez em Uganda em 1947, foi ignorada até se espalhar pelas Américas em 2015. Muitas vezes, tais doenças carecem de atenção quando emergem porque afetam as populações mais pobres do mundo, o que significa que geralmente não são lucrativas para o desenvolvimento farmacêutico.
(PARSHLEY, Lois. “Febre global”. Revista Scientific American Brasil,
ano 17, no. 185, julho de 2018, p. 54-56. Adaptado.)

(SLMandic 2019) Acerca das orações utilizadas na estruturação do texto e sua função sintática, são apresentadas as seguintes afirmações:

I - No trecho Enquanto os climatologistas correm para modelar o que mudou, para que as comunidades costeiras possam se adaptar a mares em ascensão, a expressão “para que” introduz uma relação gramatical e de sentido semelhante à que exerce a expressão “a fim de” em mas reunir pesquisa multidisciplinar de modo sistemático, a fim de entender melhor sistemas complexos, é algo relativamente novo.

II - No trecho desenvolver ferramentas para previsão de epidemias que incorporem padrões climáticos novos e iminentes, o pronome “que” retoma o antecedente “epidemias”, introduzindo o mesmo tipo de oração presente em Já em 400 a.C. Hipócrates entendeu que o meio ambiente, incluindo o clima, tem impacto nas doenças.

III - No trecho tais doenças carecem de atenção quando emergem porque afetam as populações mais pobres do mundo, o conectivo grifado introduz a causa daquilo que se informa na oração imediatamente anterior; o mesmo que ocorre em A falta de mais coordenações nesses moldes explica por que a comunidade global de saúde ainda está tateando.

Está correto APENAS o que se afirma em

A) I.
B) II.
C) III.
D) I e II.
E) II e III.

QUESTÃO ANTERIOR:
(SLMandic 2019) Como forma de garantir a coesão textual, entre outros recursos, a autora utiliza determinados termos e expressões cuja afinidade de sentido permite retomar, complementar ou mesmo depreender o significado de outros vocábulos do texto.

GABARITO:
A) I.

PRÓXIMA QUESTÃO:
- (SLMandic 2019) A afirmação que mais devidamente sintetiza os principais temas e motivos desenvolvidos no texto é

Questão disponível em:
Prova São Leopoldo Mandic (VESTIBULAR - MEDICINA 2019) com Gabarito

PESQUISAR OUTRA QUESTÃO

Comentários