UDESC 2019: Analise as proposições em relação à obra Quarto de despejo: diário de uma favelada

UDESC 2019: QUESTÃO 41 - PORTUGUÊS E LITERATURA

Texto 2

21 de junho... Vesti o José Carlos para ir na escola. Quando eu estava na rua, comecei ficar nervosa. Todos os dias é a mesma luta. Andar igual um judeu errante atraz de dinheiro, e o dinheiro que se ganha não dá pra nada. Passei no Frigorifico, ganhei uns ossos. Quando eu saí a Vera recomendou-me para trazer os sapatos.

Deixei o João brincando com ela, porque hoje não tem aula para o segundo ano. Percorri varias ruas e não havia papel. Quando ganhei 30 cruzeiros, pensei: já dá para pagar os sapatos da Vera. Mas era sabado e precisava arranjar dinheiro para o domingo. E Vera já estava idealizando o cardapio de domingo. Na Avenida Tiradentes eu ganhei uma folhas de flandres e fui vender no deposito do Senhor Salvador Zanutti, na rua Voluntarios da Patria. Eu estava de mal com ele. Mas ele não me fez mal nenhum. Até emprestou-me dinheiro quando eu fiquei doente. Quando eu fiquei doente eu andava até querendo suicidar por falta de recursos.

... O senhor Salvador perguntou-me porque foi que eu sumi de lá. Eu fiquei envergonhada com a sua acolhida tão gentil (...) Ele deu-me 31 cruzeiros. Fiquei alegre. Saí correndo. Ia comprar os sapatos para a Vera. Lembrei que havia deixado a sacola no deposito. Mas o transito estava impedido. Consegui atravessar para pegar a sacola. Ele disse-me:

- Você saiu correndo e esqueceu a sacola.
Jesus, Carolina Maria de. Quarto de Despejo: diário de uma favelada.
10ª.ed.São Paulo: Ática. pp.66 e 67.

QUESTÃO 41
UDESC 2019: Analise as proposições em relação à obra Quarto de despejo: diário de uma favelada, Carolina Maria de Jesus, ao Texto 2 e assinale (V) para verdadeira e (F) para falsa.

( ) No período “Vesti o José Carlos para ir na escola” (linha 1), quanto à regência verbal, na língua culta padrão, há um desvio gramatical que, no entanto, linguisticamente, é aceito na linguagem informal/coloquial.

( ) No sintagma “e o dinheiro que se ganha não dá pra nada” (linha 3) a autora procura mostrar a desvalorização do dinheiro devido ao momento histórico em que está vivendo – transição do governo JK.

( ) A leitura do sintagma “Andar igual um judeu errante atraz de dinheiro” (linhas 2 e 3) leva o leitor a inferir que há o pressuposto de que a autora conhecia a lenda do Judeu errante, e apenas trocou o termo água por dinheiro.

( ) No período “Passei no Frigorificoganhei uns ossos” (linhas 3 e 4) as palavras sublinhadas, quanto à fonologia, apresentam dígrafo e ditongo decrescente, encontro consonantal, dígrafo e ditongo decrescente, e dígrafo, sequencialmente.

( ) No período “Deixei o João brincando com ela, porque hoje não tem aula para o segundo ano” (linhas 4 e 5) a oração destacada, quanto à sintaxe, é oração subordinada adjetiva explicativa, se houver uma inversão e ela iniciar o período, o sinal de pontuação da vírgula torna-se optativo e a oração passa a classificar-se como oração subordinada adjetiva restritiva.

Assinale a alternativa correta, de cima para baixo.

A. ( ) V – F – V – V – V
B. ( ) V – V – F – V – V
C. ( ) V – F – V – V – F
D. ( ) V – F – F – F – F
E. ( ) V – V – F – V – F

QUESTÃO ANTERIOR:
UDESC 2019: Analise as proposições em relação à crônica de Marina Colasanti, PORQUE NÃO ERA UMA FOLHA MORTA, e ao Texto 1.

GABARITO:
C. ( ) V – F – V – V – F

PRÓXIMA QUESTÃO:
- UDESC 2019: Analise as proposições em relação à obra Quarto de despejo: diário de uma favelada, Carolina Maria de Jesus, e ao Texto 2.

QUESTÃO DISPONÍVEL EM:
Prova UDESC 2019 (MANHÃ); Questões com gabarito

PESQUISAR OUTRA QUESTÃO

Comentários