Nesse regime, (...) a verdadeira força política, que no apertado unitarismo do Império residia no poder central

 UNIFESP 2009 - QUESTÃO 71

Nesse regime, (...) a verdadeira força política, que no apertado unitarismo do Império residia no poder central, deslocou-se para os Estados. A política dos Estados, isto é, a política que fortifica os vínculos de harmonia entre os Estados e a União é, pois, na sua essência, a política nacional. É lá, na soma dessas unidades autônomas, que se encontra a verdadeira soberania da opinião. O que pensam os Estados, pensa a União.
(Campos Salles. “Mensagem” (3 de maio de 1902), in Manifestos
e mensagens. São Paulo: Fundap/Imprensa Oficial, 2007.) 

Ao defender a “política dos Estados” (ou política dos governadores) e associá-la às idéias de “harmonia”, “soma” e “soberania da opinião”, o então presidente da República Campos Salles defendia

(A) o fim da autonomia dos estados e o início de um período de centralização política, que caracterizou a República como uma ditadura.

(B) uma perspectiva de democratização para a recente República brasileira, impedindo que novos protestos políticos e armados irrompessem.

(C) a relação diplomática com os demais países sul-americanos e se dispunha a obter alianças e acordos comerciais no exterior.

(D) um pacto entre o governo federal e os governos estaduais, que teriam autonomia econômica, mas assegurariam apoio político ao Presidente.

(E) o modelo político adotado como capaz de democratizar o Brasil e de obter, sem lutas, a unidade política e territorial ainda inexistente.


QUESTÃO ANTERIOR:

GABARITO:
 (D) um pacto entre o governo federal e os governos estaduais, que teriam autonomia econômica, mas assegurariam apoio político ao Presidente.

RESOLUÇÃO:
Não temos resolução para essa questão! Você sabe explicar? Copie o link dessa página e envie sua resolução clicando AQUI!

PRÓXIMA QUESTÃO:

QUESTÃO DISPONÍVEL EM:

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.