Questões Português UEMG 2018 com Gabarito

questoes-portugues-uemg-2018-com-gabarito
Questões Português UEMG 2018 com Gabarito

Questões só de:
Português
Literatura
Física
História
Matemática
Química
Biologia
Geografia
Inglês
Espanhol



LÍNGUA PORTUGUESA

Texto 1

O poeta contemporâneo ainda tem com o que se espantar?
(Audrey de Mattos)

Falar da poesia contemporânea, esta que está aí, sendo produzida neste exato instante, é pensar nas mudanças que, de Aristóteles aos vanguardistas do século XX, transformaram a forma conhecida por poesia em território do heterogêneo: grotesco e sublime, temas elevados e temas cotidianos, linguagem polida e palavreado chulo, tudo convive na poesia contemporânea, nem de longe pacificamente, pois que o estranhamento e o (des)entendimento que assomam à alma de quem lê dão conta de que a atual poesia não veio para repousar (nem deixar repousar) em margens plácidas

[...]

Trata-se então de ouvir o inaudível e ver o invisível, conforme a fórmula clássica baudelairiana. A linguagem poética, até então mero instrumento de reprodução da realidade, “reclamará uma maior autonomia em relação à normatividade do mundo, reivindicando assim algo que parecia impossível: a capacidade de transfigurar o real e integrar-se ao mundo como elemento constitutivo deste” (Tereza Cabañas, in “A poética da inversão”).

[...]

Do poema enterrado ao poema digital, a poesia incorporará tantas e tão variadas formas de expressão que levarão Antonio Cicero a afirmar, em fins da primeira década do século XXI: “Não há mais vanguarda”. “Qualquer fetichismo residual em relação a qualquer forma convencional da poesia” foi eliminado e “a consequente relativização de todas as formas tradicionais de poesia” afeta todos os poetas pós-vanguarda.

[...]

Adaptado de <http://lounge.obviousmag.org/conversa_de_
botequim/2014/09/poesia-no-seculo-xxi-rumos.html#ixzz4ybiYJXfM>.
Acesso em: 10 nov. 2017.


QUESTÃO 01
(UEMG) No Texto 1, o autor defende que

(A) a poesia moderna se recria como um instrumento de reprodução da realidade, fiel aos elementos que constituem a sociedade atual, a fim de mantê-la intacta e inalterada.

(B) a poesia, no século XXI, segue um modelo vanguardista em que se privilegia a contemplação do que é sublime, belo e homogêneo, de modo a expor suas contradições.

(C) os novos poetas buscam uma poesia clássica aliada à modernidade dos meios de comunicação, em que se relativizam todos os movimentos literários anteriores ao século XXI.

(D) o poeta contemporâneo representa uma literatura heterogênea, na qual há uma tensão que propicia o questionamento e a mobilização do que é real.

RESPOSTA.

QUESTÃO 02
(UEMG) Para defender seu ponto de vista, o autor do Texto 1 usa determinadas estratégias de argumentação e composição textual.

Assinale a alternativa que NÃO apresenta estratégias utilizadas.

(A) Citação e intertextualidade.
(B) Paráfrase e raciocínio de causa/consequência.
(C) Paródia e contra-argumentação.
(D) Contraposição de termos e alusão histórica.

RESPOSTA.

Texto 2

Trabalivre
(Tribalistas)

Um dia minha mãe me disse
Você já é grande, tem que trabalhar
Naquele instante aproveitei a chance
Vi que eu era livre para me virar
Fiz minha mala, comprei a passagem
O tempo passou depressa e eu aqui cheguei
Passei por tudo que é dificuldade
Me perdi pela cidade mas já me encontrei

Domingo boto meu pijama
Deito lá na cama para não cansar
Segunda-feira eu já tô de novo
Atolado de trabalho para entregar
Na terça não tem brincadeira
Quarta-feira tem serviço para terminar
Na quinta já tem hora extra
E na sexta o expediente termina no bar

Mas tenho o sábado inteiro pra mim mesmo
Fora do emprego
Pra me aprimorar

Sou easy, eu não entro em crise
Tenho tempo livre
Pra me trabalhar
Disponível em: <https://www.letras.mus.br/tribalistas/trabalivre/>.
Acesso em: 10 nov. 2017.

QUESTÃO 03
(UEMG) Assinale a alternativa correta a respeito da música “Trabalivre” (Texto 2).

(A) O eu lírico constrói uma narrativa marcada pela progressão temporal dos dias da semana. Essa narrativa busca enaltecer o trabalho e sua função social, de forma a levar o interlocutor a buscar se aprimorar para tal atividade.

(B) O uso de primeira pessoa do singular demonstra que o eu lírico inclui o interlocutor em sua narrativa, compondo uma voz uníssona que versa sobre a atividade laboral.

(C) A ironia é uma estratégia presente na composição do texto e está marcada no jogo feito entre a sequência narrativa e a ação indicativa no final da canção, em que o eu lírico, mesmo em seu tempo livre, trabalha a si próprio, o que revela que o trabalho é algo inerente a esse indivíduo, tanto externa quanto internamente.

(D) A formalidade presente na linguagem da canção compõe uma relação direta com a atividade laboral, demonstrando que o trabalho exige uma postura séria do indivíduo.

RESPOSTA.

QUESTÃO 04
(UEMG) Assinale a alternativa correta a respeito dos elementos linguísticos da música “Trabalivre”.

(A) No excerto “Mas tenho o sábado inteiro pra mim mesmo / Fora do emprego / Pra me aprimorar”, o elemento coesivo de contraposição indica que o sábado representa um dia de descanso, ao contrário dos outros dias da semana. No entanto essa expectativa é quebrada quando se insere uma finalidade alheia ao descanso.

(B) Os verbos conjugados no presente do indicativo demonstram que as ações realizadas pelo eu lírico são pontuais e se dão no presente momentâneo do ato enunciativo.

(C) A colocação dos pronomes pessoais do caso oblíquo presentes no texto obedece à norma culta da língua portuguesa. Tal fato pode ser observado especialmente no verso “Me perdi pela cidade mas já me encontrei”.

(D) Os advérbios de modo dão o tom narrativo ao texto, utilizados para caracterizar ações durativas como a que se expressa no verso “O tempo passou depressa e eu aqui cheguei”.

RESPOSTA.

QUESTÃO 05
(UEMG) Assinale a alternativa correta.

Hoje vou tomar dois cafés

(A) No primeiro quadrinho do texto “Rotina”, o narrador coordena várias orações, gerando um efeito de sentido que remete a ações rotineiras. Isso é reforçado pela locução adverbial de tempo.

(B) O uso da expressão “todos os dias” (Texto “Rotina”, primeiro quadrinho) remete ao sentido de “tenho tempo livre” (Texto “Trabalivre”, penúltimo verso), sentido esse que está ao mesmo tempo implícito na última fala do personagem “Hoje vou tomar dois cafés” (Texto “Rotina”, terceiro quadrinho).

(C) O humor do texto “Rotina” se revela na reação do personagem Daniel diante das atividades maçantes de seu dia a dia, agindo com inconformismo.

(D) A expressão “Chega!!!” (Texto “Rotina”, segundo quadrinho) é formada por um verbo bitransitivo, para o qual há dois complementos implícitos, o objeto direto oracional “que se dane” e o objeto indireto oracional “de trabalhar”.

RESPOSTA.

Texto 3

“ALIEN INTERVIEW” (Entrevista com um alienígena)

No momento em que o ser alienígena tinha sido devolvido à base eu já tinha passado várias horas com ela. Como já referi, o Sr. Cavitt me disse para ficar com a extraterrestre, já que eu era a única pessoa entre nós que poderia compreendê-la e manter comunicação telepaticamente. Eu não pude compreender e entender a minha capacidade de me “comunicar” telepaticamente com o ser extraterrestre. Eu nunca antes havia tido experiência com comunicação telepática com alguém.

A comunicação não-verbal que eu experimentei era como a compreensão que se tem quando uma criança ou um cão está tentando fazer você entender alguma coisa, mas muito, muito mais direta e poderosa! Mesmo que não houvesse falado “palavras”, ou comunicação através de sinais, a intenção dos pensamentos eram inconfundíveis para mim. Percebi mais tarde que, apesar de eu receber o pensamento, eu necessariamente não interpretava o seu significado exatamente.
[...]
Disponível em: <http://www.bibliotecapleyades.net/vida_
alien/alieninterview/alieninterview.htm)>. Acesso em 10 nov.
2017.

QUESTÃO 06

(UEMG) Assinale a alternativa correta a respeito do Texto 3 e de seus elementos linguísticos.

(A) As aspas foram utilizadas ao longo do texto para marcar ironia por parte do autor, tendo em vista que houve um deslocamento semântico no uso das palavras marcadas por esse sinal. Tal efeito de sentido também se dá pelo uso do ponto de exclamação em “[...] mas muito, muito mais direta e poderosa! [...]”.

(B) Em “[...] o ser alienígena tinha sido devolvido à base [...]”, a crase é utilizada por haver, antes dela, uma perífrase verbal formada por dois verbos auxiliares mais um verbo no particípio e por haver, depois dela, um substantivo feminino.

(C) Em “[...] era como a compreensão que se tem quando uma criança ou um cão está tentando fazer você entender alguma coisa [...]”, o “se” exerce função de índice de indeterminação do sujeito.

(D) Em “Como já referi, o Sr. Cavitt me disse para ficar com a extraterrestre [...]” e em “[...] era como a compreensão que se tem [...]”, os termos em destaque estabelecem relações de sentido diferentes.

Comentários