DESTAQUE
+ exercício com questões subjetivas.

Questões FEI 2019 Português com Gabarito

questoes-fei-2019-portugues-com-gabarito
Questões FEI 2019 Português com Gabarito

Questões de:
Português
Matemática
História
Geografia
Física
Química
Inglês
Biologia

PORTUGUÊS

Carlos Drummond de Andrade tem uma vasta produção poética, reconhecida em todo o mundo, e com marcas recorrentes. A sua permanente reflexão sobre a realidade, sobre a relação entre o “eu” e o “mundo”, sobre a função do artista na sociedade é uma dessas marcas, que pode ser lida na poesia abaixo:

Mãos dadas

Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.
Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,
não fugirei para ilhas nem serei raptado por serafins.
O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes,
a vida presente.
(ANDRADE, C. D. de. Poesia e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1988, p.68)

Sobre o poema, responda às questões abaixo:

QUESTÃO 01
(FEI 2019) O eu-lírico ressalta:

(A) o interesse pela tecnologia.
(B) a preocupação com o contexto histórico.
(C) o desejo de evasão.
(D) a perspectiva utópica.
(E) o anseio por reconstruir o passado.

GABARITO.

QUESTÃO 02
(FEI 2019) A leitura atenta do poema permite inferir que há no texto uma contraposição ao que tradicionalmente se conhece como matéria poética do:

(A) Realismo.
(B) Romantismo.
(C) Modernismo.
(D) Barroco.
(E) Arcadismo.

GABARITO.

QUESTÃO 03
(FEI 2019) Depreende-se do texto que o eu-lírico avalia:

(A) o passado como um tempo próspero.
(B) o futuro como um tempo de abundância para todos.
(C) o presente como um tempo de grandes conquistas.
(D) o presente como um tempo de esperança.
(E) o futuro como um tempo de terror.

GABARITO.

QUESTÃO 04
(FEI 2019) Considerando os sentidos gerados pela poesia, pode-se afirmar que:

(A) as pessoas devem seguir a lógica da competitividade e do individualismo, se quiserem construir uma sociedade mais justa.

(B) para que seja possível resistir às condições de uma sociedade cuja marca é a violência social, é preciso que os indivíduos se isolem.

(C) a realidade favorece a vida em comunidade, mas os seres humanos, movidos pela ambição, vivem isolados.

(D) apesar de a realidade favorecer o afastamento entre os seres humanos, é preciso resistir para manter a união entre as pessoas.

(E) a ação dos indivíduos não muda a história, por isso, é inútil lutar por uma sociedade diferente da que se mostra no presente.

GABARITO.

QUESTÃO 05
(FEI 2019) No quarto verso, “Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças”, o conectivo “mas” estabelece uma relação de:

(A) consequência.
(B) causa.
(C) adição.
(D) finalidade.
(E) oposição.

GABARITO.

QUESTÃO 06
(FEI 2019) Se depois da vírgula em “O presente é tão grande, não nos afastemos” (sexto verso), houvesse um conectivo, o que estabeleceria a relação mais adequada para o contexto seria:

(A) contudo.
(B) uma vez que.
(C) a fim de que.
(D) pois.
(E) por isso.

GABARITO.

QUESTÃO 07
(FEI 2019) O uso dos verbos na primeira pessoa do plural e os sentidos gerados pelo poema evidenciam que o eu-lírico:

(A) está consciente da importância dos outros na sua própria experiência.

(B) sobrepõe a sua intimidade e as suas necessidades à realidade dos outros.

(C) valoriza a sua própria subjetividade em detrimento da dos outros.

(D) está consciente da necessária distância entre o “eu” e o “outro”.

(E) admite a impossibilidade de viver em comunidade.

GABARITO.

QUESTÃO 08
(FEI 2019) Considerando o contexto em que o verbo “afastemos” (sexto verso) se apresenta, depreende-se:

(A) a aceitação de que as pessoas não se aproximarão.

(B) o reconhecimento de que as pessoas não vivem em harmonia.

(C) o desejo de que as pessoas se mantenham unidas.

(D) o desejo inconsciente de que as pessoas se afastem.

(E) a certeza de que as pessoas não se afastarão.

GABARITO.

QUESTÃO 09
(FEI 2019) Sobre o eu-lírico, é possível qualificá-lo como:

(A) reflexivo.
(B) sentimental.
(C) inseguro.
(D) intolerante.
(E) dualista.

GABARITO.

QUESTÃO 10
(FEI 2019) Os verbos que compõem a poesia se encontram, predominantemente, em dois tempos, a saber:

(A) Pretérito perfeito e futuro do presente.
(B) Pretérito imperfeito e futuro do presente.
(C) Presente e futuro do presente.
(D) Presente e futuro do pretérito.
(E) Presente e pretérito imperfeito.

GABARITO.

REDAÇÃO

Leia atentamente a tirinha abaixo:


A partir das suas experiências e reflexões, relacione os sentidos sugeridos pela charge e defina um tema. Elabore um texto dissertativo-argumentativo a partir do tema que você definiu, respeitando a estrutura desse tipo de texto. Apresente ao menos dois argumentos para fundamentar o seu ponto de vista, que deve respeitar os direitos humanos. Utilize o padrão formal da língua portuguesa.

PORTUGUÊS

Segue um poema de José Craveirinha, escritor moçambicano, país africano colonizado por Portugal. Leia-o atentamente e responda a seguir:

Reza, Maria
        (À minha mulher)
Suam no trabalho as curvadas bestas
e não são bestas
são homens, Maria!

Corre-se a pontapés os cães na fome dos ossos
e não são cães
são seres humanos, Maria!

Feras matam velhos, mulheres e crianças
e não são feras, são homens
e os velhos, as mulheres e as crianças
são os nossos pais
nossas irmãs e nossos filhos, Maria!

Crias morrem à míngua de pão
vermes nas ruas estendem a mão à caridade
e nem crias nem vermes são
mas aleijados meninos sem casa, Maria!

Bichos espreitam nas cercas de arame farpado
Curvam cansados dorsos ao peso das cangas
E também não são bichos
Mas gente humilhada, Maria!
Do ódio e da guerra dos homens
das mães e das filhas violadas
das crianças mortas de anemia
e de todos os que apodrecem nos calabouços
cresce no mundo o girassol da esperança

Ah! Maria
põe as mãos e reza.
Pelos homens todos
e negros de toda a parte
põe as mãos
e reza, Maria!
(CRAVEIRINHA, J. Obra poética. Maputo: Imprensa, 2002, p.188)

QUESTÃO 01
(FEI 2019) É possível depreender das quatro primeiras estrofes:

(A) a indignação crescente diante da miséria.

(B) uma homenagem aos homens brancos.

(C) a tentativa de consolar os homens miseráveis.

(D) um canto de louvor aos colonizadores portugueses.

(E) a busca de compreender as causas da miséria humana.

GABARITO.

QUESTÃO 02
(FEI 2019) A primeira estrofe sugere que o trabalho é visto como:

(A) atividade que permite a exploração do homem.

(B) meio de satisfação pessoal dos empregados.

(C) meio para que a sociedade gere justiça social.

(D) atividade gratificante para as pessoas que se dedicam.

(E) atividade necessária para o desenvolvimento social.

GABARITO.

QUESTÃO 03
(FEI 2019) Na quinta estrofe, o verso “cresce no mundo o girassol da esperança” ilumina:

(A) a impossibilidade de transformação da história.

(B) a projeção da possibilidade de transformação da história.

(C) uma tendência do povo a aceitar a opressão e as injustiças.

(D) a certeza de que a justiça social em breve vai superar os problemas da colonização.

(E) um descontentamento com o que se anuncia como futuro.

GABARITO.

QUESTÃO 04
(FEI 2019) Ao longo do poema e até mesmo no título, “Maria” ocupa a função sintática conhecida como:

(A) Sujeito.
(B) Vocativo.
(C) Objeto direto.
(D) Complemento nominal.
(E) Adjunto adnominal.

GABARITO.

QUESTÃO 05
(FEI 2019) As características do texto evidenciam que se trata de um poema:

(A) Romântico.
(B) Realista.
(C) Árcade.
(D) Contemporâneo.
(E) Barroco.

GABARITO.

Segue o poema “O bicho”, de Manuel Bandeira, escritor brasileiro.
Leia-o atentamente e responda às questões que se seguem:

Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.

Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.

O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.

O bicho, meu Deus, era um homem.
(BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. 20 ed.
Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993, p. 201-202).

QUESTÃO 06
(FEI 2019) Estabeleça comparações entre “O bicho” e “Reza, Maria” e avalie as afirmações abaixo:

1. Há claras relações de intertextualidade entre os dois poemas, marcadas pelos aspectos temáticos e estéticos.

2. Lê-se nos poemas moçambicano e brasileiro uma denúncia em relação à opressão em que grupos sociais do Brasil e de Moçambique vivem.

3. O poema do brasileiro Manuel Bandeira é marcado pelo sentimento de indignação diante da cena apresentada.

4. A perspectiva mais adequada para compreender os poemas é a fundada pelo diálogo entre literatura e história.

Estão corretas as assertivas:

(A) Apenas 1, 2 e 3.
(B) Apenas 2 e 4.
(C) Apenas 1 e 3.
(D) 1, 2, 3 e 4.
(E) Apenas 1 e 4.

GABARITO.

QUESTÃO 07
(FEI 2019) No poema “O bicho”, o termo “meu Deus” corresponde, sintaticamente, no poema “Reza, Maria”, ao termo:

(A) homens (primeira estrofe).
(B) seres humanos (segunda estrofe).
(C) feras (terceira estrofe).
(D) gente humilhada (quinta estrofe).
(E) Maria (quarta estrofe).

GABARITO.

QUESTÃO 08
(FEI 2019) O poema “O bicho”, avaliado do ponto de vista estético e temático, evidencia que Manuel Bandeira é um poeta:

(A) Romântico.
(B) Barroco.
(C) Realista
(D) Parnasiano.
(E) Modernista.

GABARITO.

QUESTÃO 09
(FEI 2019) A população nativa do Brasil, formada pelos indígenas, sofreu o mesmo tipo de violência que o processo colonizador português impôs às comunidades que formam, hoje, Moçambique.

Sabendo que a literatura veicula visões de mundo e que ilumina aspectos históricos, assinale a alternativa correta:

(A) No poema de Bandeira, verifica-se a presença de um olhar para a religião dos colonizadores portugueses, o que não ocorre no poema de Craveirinha.

(B) Apenas no poema de Craveirinha fica clara a influência da religião dos colonizadores portugueses na cultura do povo.

(C) Nos dois poemas, há marcas textuais que evidenciam a influência da religião dos portugueses na formação cultural dos dois países.

(D) Os povos nativos de Moçambique e do Brasil negaram completamente a religião dos portugueses, como se pode ler pelas marcas textuais dos poemas.

(E) Lê-se em ambos os poemas referências à religião dos povos nativos, mas nenhuma referência à religião dos colonizadores.

GABARITO.

QUESTÃO 10
(FEI 2019) A escolha do tempo verbal impacta nos sentidos sugeridos de qualquer texto. Predominam nos poemas, respectivamente, os tempos e modos verbais:

(A) Pretérito imperfeito do subjetivo e presente do subjuntivo.

(B) Imperativo e pretérito do subjetivo.

(C) Presente do indicativo e pretérito imperfeito do indicativo.

(D) Futuro do presente do indicativo e pretérito imperfeito do subjuntivo.

(E) Futuro do subjuntivo e presente do indicativo.

GABARITO.

REDAÇÃO

Relacione os poemas “Reza, Maria”, de José Craveirinha, “O bicho”, de Manuel Bandeira, à charge abaixo. Extraia um possível tema e elabore um texto dissertativo-argumentativo.

Seu texto precisa ter introdução, desenvolvimento e conclusão e deve apresentar um ponto de vista claro, a partir da comparação dos textos da prova.

Utilize o padrão culto da língua portuguesa e escreva um texto em prosa (ou seja, que não seja em versos).

Atribua um título ao seu texto.
Respeite o número mínimo e máximo de linhas, indicadas na folha de respostas.


INSTRUÇÕES:
1. Escreva no mínimo 20 linhas e no máximo 28 linhas.
2. Se usar letra de forma, que não é a melhor escolha, distingua maiúsculas de minúsculas.
3. Evite rasuras e escreva com letra legível.
4. Não se afaste do tema proposto.
5. Qualquer dúvida, solicite orientação ao fiscal.
6. Leia com atenção as instruções da folha de redação oficial.

Comentários