Prova ESPM 2019.1 com Gabarito

Prova ESPM 2019.1 com Gabarito
Prova ESPM 2019.1 com Gabarito

NOVA: Prova ESPM 2022.2 com Gabarito
Prova ESPM 2020.1 com Gabarito
- Redação ESPM 2020: Prepare-se para novas experiências
- Prova ESPM 2019.2 com Gabarito
- Redação ESPM 2019.2: A solidão é a grande ameaça
- Prova ESPM 2019.1 com Gabarito
- Redação ESPM 2019.1: O modo de navegação social - a malandragem e o “jeitinho”

PORTUGUÊS

Texto para as questões de 1 a 3:

"É Brasileiro, já passou de
Português..."

É Brasileiro, já passou de Português

A ideia de uma língua única, que não se altera, é um mito, pois a heterogeneidade social e cultural implica a heterogeneidade linguística.

(...)

Embora Brasil e Portugal tenham uma língua comum, é nítido a qualquer falante do português que existem diferenças entre o português falado nos dois países – claro que elas também existem com relação aos demais países de língua portuguesa. (...)

Essas diferenças são tão grandes que podemos afirmar que no Brasil se fala uma língua diferente da de Portugal, que os linguistas denominaram de português brasileiro.

Isso é tão evidente que, se você observar um processador de textos, o Word, por exemplo, na ferramenta idiomas há as opções português e português brasileiro ou português (Brasil). Por quê? Como são línguas diferentes, o corretor automático do processador precisa saber em que “língua” está sendo escrito o documento, pois o português europeu e o brasileiro seguem regras diferentes.

Quando ouvimos um habitante de Portugal falando, percebemos imediatamente um uso diverso da língua. A diferença mais perceptível é de ordem fonológica, ou seja, na maneira de produzir os sons da língua.

Identificamos rapidamente que ele fala português, porém com “sotaque ou acento lusitano”. Se atentarmos com mais cuidado, perceberemos, entretanto, que as diferenças não são apenas de ordem fonológica.

Há também diferenças sintáticas (poucas) e lexicais. Um mesmo conceito é designado por significantes diferentes, o que prova o caráter imotivado do signo linguístico. (...)
(Ernani Terra, Revista Língua Portuguesa, adaptado, julho/2018)

QUESTÃO 01
(ESPM 2019) Um argumento concreto para corroborar a ideia de que “língua única, que não se altera, é um mito”, exposta no primeiro período, é o trecho:

a) “existem diferenças entre o português falado nos dois países”

b) “se fala uma língua diferente da de Portugal”

c) “elas também existem com relação aos demais países de língua portuguesa”

d) “o Word... na ferramenta idiomas há as opções português e português brasileiro ou português (Brasil)

e) “o português europeu e o brasileiro seguem regras diferentes”

GABARITO.

QUESTÃO 02
(ESPM 2019) O texto alude ao fato de haver diferenças fonéticas, sintáticas e lexicais entre o português de Portugal e o do Brasil.

Na listagem abaixo, há exemplos dos três casos de diferenças. Assinale o item que exemplifica apenas diferenças lexicais:

Portugal / Brasil

a) económico / econômico
omnipotente / onipotente

b) estou a trabalhar / estou trabalhando
interesso-me por si / me interesso por você

c) bica / café
hospedeira de bordo / aeromoça

d) gostaria de falar consigo / gostaria de falar com você

e) fenómeno fenômeno / dezasseis dezesseis

GABARITO.

QUESTÃO 03
(ESPM 2019) O autor defende que:

a) Há diferenças linguísticas tão grandes, com regras também tão diferentes, que se constatam duas línguas diversas: o português de Portugal e o português europeu.

b) Diferenças de ordem fonológica ocorrem quando um mesmo significado é designado por significantes diferentes.

c) Diferenças linguísticas em outros países, como Angola, Moçambique, Cabo Verde, Timor Leste e São Tomé e Príncipe, são tão pequenas que não chegam a caracterizar línguas diferentes.

d) As alterações linguísticas entre Portugal e Brasil ocorrem principalmente, por serem mais verificáveis, no campo da escrita.

e) O signo linguístico não necessita, para sua existência, de um caráter motivado.

GABARITO.

Texto para as questões de 4 a 6:

Afora espíritos essencialmente satíricos e caricatos como Emílio de Menezes, outros havia, como Lima Barreto, que parece se vingavam das desditas da existência transbordando o fel da maledicência travestido em constantes ataques a tudo e a todos. (...)

Raro era o homem de letras e, até mesmo, o homem público que tivesse passado a vida sem experimentar a vivência belicosa da polêmica. Tal era a frequência, que tinha foros de gênero literário que alguém poderia cultivar e no qual fosse, por assim dizer, um especialista.

As biografias dos grandes homens da época são, a esse respeito, bastante instrutivas. Não são poucos aqueles cujos biógrafos qualificam de polemista como poderiam qualificar de publicista, romancista ou polígrafo.
(Antonio Luís Machado Neto, Estrutura social da república das Letras:
sociologia da vida intelectual brasileira 1870-1930, Edusp)

QUESTÃO 04
(ESPM 2019) Parafraseando o trecho: “vingavam das desditas da existência transbordando o fel da maledicência travestido em constantes ataques a tudo e a todos.”, tem-se:

a) indizíveis fatos da vida geram o ódio da

blasfêmia embutido em ataques verbais à sociedade.

b) infelicidades da vida produzem o veneno do maldizer disfarçado em crítica generalizada.

c) trajetórias malditas da existência se transformam em aversão atroz ao próximo.

d) conflitos existenciais criam o amargor pessimista disfarçado em ameaça geral à humanidade.

e) injúrias da vida originam inimigos figadais, provocando violentas discussões verbais entre as pessoas.

GABARITO.

QUESTÃO 05
(ESPM 2019) Segundo o texto:

a) As biografias dos grandes homens públicos ou de letras mostram, em geral, conduta avessa à polêmica.

b) Ataques pessoais entre literatos resultam invariavelmente de indivíduos com personalidades satíricas e caricatas.

c) Muitos biógrafos equivocadamente qualificaram de polemista aqueles que são publicista, romancista ou polígrafo.

d) Emílio Menezes e Lima Barreto são figuras exemplares do mesmo tipo de personalidade polêmica.

e) De tão praticada, a polêmica acabou constituindo-se numa especialidade literária.

GABARITO.

QUESTÃO 06
(ESPM 2019) No texto, é possível substituir os termos caricato / foros / polígrafo, sem prejuízo semântico, respectivamente por:

a) ridículo / caráter / escritor de vários gêneros.

b) teatral / ares / redator de jornal.

c) incoerente / imunidades / cronista.

d) exagerado / ares / jornalista.

e) grotesco / caráter / editor.

GABARITO.

QUESTÃO 07

um brinde à adorável mulher pela qual me apaixonei há tantos anos

(ESPM 2019) A graça da tira decorre:

a) da existência de "ruído" na comunicação, efetuada por Hagar, sobre um relacionamento amoroso anterior ao atual.

b) de uma fala metafórica de Hagar que, ao dirigir-se diretamente à própria esposa, refere-se às qualidades de uma terceira pessoa.

c) da diferença do nível de linguagem usado pelo emissor para se dirigir aos interlocutores, fato que fez sugerir a existência de duas mulheres.

d) do não entendimento de um discurso ambíguo bastante comum, no qual se dirige a um interlocutor, referindo-se a ele como se fosse uma terceira pessoa.

e) da dificuldade de compreensão no discurso de Hagar, por parte do amigo Ed Sortudo, devido aos traços de formalidade da linguagem erudita.

GABARITO.

Texto para as questões 8 e 9:

Aborto, porte de armas e o presidente Donald Trump foram alguns dos assuntos que dominaram a primeira audiência de confirmação do juiz conservador Brett Kavanaugh  para a Suprema Corte dos Estados Unidos, realizada em meio a protestos de ativistas e tentativas de adiamento do processo por parte de democratas.

Kavanaugh passará por mais dois dias de sabatina, na quarta e na quinta, e testemunhas contra e a favor do juiz devem ser ouvidas na sexta.
(Folha de S.Paulo, 04/09/2018)

QUESTÃO 08
(ESPM 2019) Segundo o Dicionário Aurélio (versão digital), a palavra sabatina possui as seguintes acepções:

1. Repetição, no sábado, das lições estudadas durante a semana.

2. Oração do sábado.

3. Tese que os estudantes de filosofia defendiam ao término de seu primeiro ano de curso.

4. Fig. Discussão, debate, questão.

Levando-se em conta que o vocábulo sabatina ganhou o valor semântico de "exame, prova ou questionamento (não necessariamente realizados num sábado) para o exercício de um cargo", pode-se afirmar que nesse caso ocorreu um(a):

a) metáfora, por ter havido uma comparação implícita.

b) catacrese, por ter havido um empréstimo de palavra.

c) metonímia, por ter ocorrido substituição de um termo por outro em relação de contiguidade.

d) pleonasmo, já que se repete a ideia de discussão ou debate.

e) elipse, uma vez que já está subentendida a ideia de prova.

GABARITO.

QUESTÃO 09
(ESPM 2019) Assinale a afirmação correta sobre o trecho:

... testemunhas contra e a favor do juiz devem ser ouvidas na sexta...

A frase está:

a) na voz passiva analítica, enfatizando o sujeito paciente “testemunhas”, alvo do processo verbal.

b) na voz ativa, enfatizando o agente indeterminado do processo expresso pelo verbo.

c) na voz passiva sintética e, se transpuséssemos para a voz ativa, teríamos “devem ouvir testemunhas contra e a favor do juiz na sexta”, enfatizando o sujeito indeterminado.

d) na voz passiva analítica e, se transpuséssemos para a voz ativa, teríamos “ouvirão testemunhas contra e a favor do juiz na sexta”, realçando o sujeito indeterminado na ação de ouvir.

e) na voz passiva e, se transpuséssemos para a voz ativa, teríamos “deverão ouvir testemunhas contra e a favor do juiz na sexta”, dando destaque em “testemunhas”.

GABARITO.

Texto para as questões 10 e 11:

Quando se conversa, deve-se evitar as frases feitas que são verdadeiras chapas.

Exemplos: em um enterro, dizer “que não se morre senão uma vez”, que “basta estar vivo para morrer”, que “o morto é feliz porque deixou de sofrer”, que “Deus sabe o que faz e escreve certo por linhas tortas” ou que “as grandes dores são mudas”. Quando se visita um doente, não há necessidade de levar no bolso sentenças desse jaez: “a saúde é a maior das fortunas”, “somos nós que pagamos pelos excessos de nossos pais” ou “a ciência, que tudo pode, ainda não encontrou remédio para os pequenos males”.

Em todos os setores das atividades sociais, há frases no mesmo estilo e que convém deixar ao cuidado do Conselheiro Acácio que nelas se esmerou.
(Marcelino de Carvalho, Guia de Boas Maneiras)

QUESTÃO 10
(ESPM 2019) O autor defende a ideia de que:

a) deve-se evitar frases clichês, mas pode-se confiar em quem se esmera em frases delicadas.

b) em visita a um doente, embora não haja necessidade, uma frase amável já conhecida conforta mais.

c) para sair do universo de frases feitas, é recomendável sentenciar adotando o estilo do Conselheiro Acácio.

d) infelizmente o Conselheiro Acácio não previu frases para todos os setores das atividades sociais.

e) deve-se poupar o próximo de exemplos do repertório de lugares comuns.

GABARITO.

QUESTÃO 11
(ESPM 2019) Personagem da obra O Primo Basílio, a figura fictícia Conselheiro Acácio, citada no texto, tornou-se célebre como:

a) o herói sem nenhum caráter, nem moral nem psicológico, é individualista, preguiçoso, faz o que deseja sem se preocupar com nada. Além disso, mente com a maior facilidade, é vaidoso, malandro e malicioso.

b) o herói quixotesco, idealista, patriota exacerbado, a ponto de fazer um ofício para o ministro, escrito em tupi, defendendo que a língua oficial deveria ser então essa.

c) representação da convencionalidade e mediocridades dos políticos e burocratas dos finais do século XIX, denunciando a pompa balofa e a postura de pseudo-intelectualidade utilizada por figuras públicas.

d) representante da literatura conformista, alienada e vazia, indiferente às desigualdades sociais, preocupada que está somente com os efeitos estéticos e de adorno do texto literário.

e) primeiro anti-herói da Literatura, representa o malandro em seu esforço de sobreviver à margem das instituições sociais por meio do “jeitinho brasileiro”.

GABARITO.

QUESTÃO 12


Tanto de meu estado me acho incerto,
Que em vivo ardor tremendo estou de frio;
Sem causa, juntamente choro e rio,
O mundo todo abarco e nada aperto.

É tudo quanto sinto, um desconcerto;
Da alma um fogo me sai, da vista um rio;
Agora espero, agora desconfio,
Agora desvario, agora acerto.

Estando em terra, chego ao Céu voando,
Numa hora acho mil anos, e é de jeito
Que em mil anos não posso achar uma hora.

Se me pergunta alguém porque assi ando,
Respondo que não sei; porém suspeito
Que só porque vos vi, minha Senhora.
(Luís Vaz de Camões)

(ESPM 2019) Assinale a afirmação incorreta sobre o texto.

a) Trata-se de um soneto de versos decassílabos, típico poema da medida nova praticada no Classicismo renascentista.

b) Estados paradoxais do eu lírico, como “choro e rio” ao mesmo tempo, ou “em vivo ardor tremendo estou de frio”, classificam o poema no Maneirismo, pois prenunciam elementos típicos do Barroco.

c) A exaltação ao amor e à mulher idealizada faz com que o eu poético passe por experiências extremadas ou hiperbólicas, como na terceira estrofe.

d) A solenidade do texto ao tematizar uma mulher inspiradora de encantamento transparece, por exemplo, no uso da expressão “Senhora” com inicial maiúscula.

e) O conjunto de sensações corporais opostas e a provocação de um estado mental e espiritual contraditórios não valeram a pena para o poeta, pois este só conseguiu ver a amada.

GABARITO.

QUESTÃO 13
(ESPM 2019) Considere os textos que seguem.

Eu tenho um coração maior que o mundo,
tu, formosa Marília, bem o sabes;
um coração, e basta,
onde tu mesma cabes.
(Tomás Antônio Gonzaga, Marília de Dirceu)

Não, meu coração não é maior que o mundo.
É muito menor.
Nele não cabem sequer as minhas dores.
(Carlos Drummond de Andrade, Sentimento do Mundo)

Assinale a afirmação correta sobre os dois textos:

a) Por pertencer à fase heroica ou iconoclasta do Modernismo, Carlos Drummond de Andrade parodia o lirismo sentimental do árcade Tomás Antônio Gonzaga.

b) Enquanto o poeta do Arcadismo, Gonzaga, expressa seu sentimento pela musa Marília, o modernista Drummond reporta--se, nesse trecho, às divergências ideológicas.

c) Gonzaga, como muitos árcades, é alheio ao que está a seu redor, já Drummond expressa um sentimento de revolta ante um mundo que não compreende as dores do poeta.

d) Em Gonzaga, o coração do poeta alcança a plenitude com a presença da amada. Em Drummond, o coração é insuficiente para abarcar as próprias dúvidas existenciais.

e) Tomás A. Gonzaga usa a imagem do “mundo” para instigar a musa Marília a aceitá-lo; Drummond retoma o procedimento do poeta árcade, ressaltando o sofrimento por causa da amada.

GABARITO.

QUESTÃO 14
(...) O mal du siècle, a indefinível doença que alanceia os românticos, que lhes enlanguesce a vontade, entedia a vida e faz desejar a morte, só poderá ser correctamente entendido no contexto da odisseia do eu romântico, pois que exprime o cansaço e a frustração resultantes da impossibilidade de realizar o absoluto. (...)
(Vítor Manuel de Aguiar e Silva, Teoria da Literatura,
8.ª edição, Livraria Almedina, Coimbra, 1988)

(ESPM 2019) A partir das considerações sobre o “mal-do-século”, assinale o item cujo texto não apresente as características apontadas.

a)
Já da morte o palor me cobre o rosto,
Nos lábios meus o alento desfalece,
Surda agonia o coração fenece,
E devora meu ser mortal desgosto!
(Álvares de Azevedo)

b)
Ah!, findou para mim tão leda sorte;
Agora é só feliz minha existência
No mudo estado, que arremeda a morte.
(Bocage)

c)
A filha de Araquém sentiu afinal que
suas veias se estancavam; e contudo o lábio
amargo de tristeza recusava o alimento que
devia restaurar-lhe as forças. O gemido e o
suspiro tinham crestado com o sorriso o sabor em sua boca formosa.
(José de Alencar, Iracema)

d)
E que farias tu da vida sem a tua companheira de martírio? Onde irás tu aviventar o coração que a desgraça te esmagou, sem o esquecimento da imagem desta dócil mulher, que seguiu cegamente a estrela da tua malfadada sorte?!
(Camilo Castelo Branco, Amor de Perdição)

e)
Eu morro qual nas mãos da cozinheira
O marreco piando na agonia...
Como o cisne de outrora... que gemendo
Entre os hinos de amor se enternecia.

GABARITO.

Texto para as questões 15 e 16:

O trecho que segue é da personagem Olga, de Triste Fim de Policarpo Quaresma, romance de Lima Barreto.

O que mais a impressionou no passeio foi a miséria geral, a falta de cultivo, a pobreza das casas, o ar triste, abatido da gente pobre. (...)

Havendo tanto barro, tanta água, por que as casas não eram de tijolos e não tinham telhas? Era sempre aquele sapê sinistro e aquele “sopapo” que deixava ver a trama de varas, como o esqueleto de um doente. Por que ao redor dessas casas não havia culturas, uma horta, um pomar?

(...) Não podia ser preguiça só ou indolência. Para o seu gasto, para uso próprio, o homem tem sempre energia para trabalhar relativamente. (...)

Seria a terra? Que seria? E todas essas questões desafiavam a sua curiosidade, o seu desejo de saber, e também a sua piedade e simpatia por aqueles párias, maltrapilhos, mal alojados, talvez com fome, sorumbáticos!...

QUESTÃO 15
(ESPM 2019) É possível estabelecer um paralelo entre a passagem acima e outros textos da Literatura brasileira por apresentarem reflexões críticas em relação à miséria, similares ao pensamento de Olga. Essa abordagem ocorre nas referências abaixo, exceto em uma.

Assinale o item cuja obra não é passível de ser relacionada com o exposto acima.

a) Em Urupês, de Monteiro Lobato, a personagem Jeca Tatu, da zona rural do vale do Paraíba paulista, com sua “casa de sapé e lama faz sorrir aos bichos que moram em toca e gargalhar o João-de-Barro”.

b) Em O Cortiço, de Aluísio Azevedo, João Romão, na sua ganância, “não comia um ovo, do que no entanto gostava imenso; vendia-os todos e contentava-se com os restos da comida dos trabalhadores”.

c) Em Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto, a carpideira afirma ao retirante Severino que naquela região do agreste “pouco existe o que lavrar”.

d) Em Vidas Secas, de Graciliano Ramos, o narrador apresenta a personagem Fabiano muitas vezes em condição de penúria, “encolhia-se na presença dos brancos e julgava-se cabra”.

e) Em Duelo, de Guimarães Rosa, a personagem Timpim Vinte-e-Um vive na miséria, carrega umas mandioquinhas para a “mulher, que teve criança” e “não tem nada lá em casa p’ra ela comer”.

GABARITO.

QUESTÃO 16
(ESPM 2019) Em Lima Barreto, a sequência grande de perguntas ao longo do texto configura o:

a) discurso direto, em que há reprodução da fala da personagem ou do diálogo entre personagens.

b) discurso indireto, em que o narrador conta aos leitores o que a personagem disse. Não há travessão.

c) discurso indireto livre, em que há o pensamento da personagem, expresso pelo narrador, em meio à narrativa.

d) solilóquio, em que a personagem extravasa os seus pensamentos e emoções em monólogos, sem dirigir-se especificamente a qualquer ouvinte.

e) fluxo da consciência, em que há transcrição do complexo processo de pensamento não-linear de uma personagem, com o raciocínio lógico entremeado com impressões pessoais momentâneas e exibindo os processos de associação de ideias.

GABARITO.

QUESTÃO 17
(ESPM 2019) A zoomorfização na Literatura, a despeito de qualquer outra característica estilística, sempre esteve presente, no entanto, aparece principalmente nas obras com características realistas que, em contraponto àquelas com aspectos mais românticos, têm o intento de retratar as mazelas da sociedade como espelho. (...)

Fez-se necessário uma Literatura condizente com o real e, para tanto, a zoomorfização de personagens foi utilizada com maior ênfase. Paralelo ao Realismo, o Naturalismo é o momento em que mais se verifica este fenômeno. (Uesla Lima Soares , O Animal Humano: Os paradigmas da zoomorfização social e sua representação literária, Anais do Festival Literário de Paulo Afonso, 2017)

[O zoomorfismo] ocorre quando “o que é próprio do homem se estende ao animal e permite, por simetria, que o que é próprio do animal se estenda ao homem.”
(Antonio Cândido, De Cortiço a Cortiço, Novos Estudos CEBRAP, 1991).

Considere as seguintes afirmações:

I. A zoomorfização se opôs frontalmente às idealizações românticas, sendo uma característica exclusiva do Naturalismo.

II. Segundo Antonio Candido, não é possível haver distinção entre ser humano e animal, no sentido de que um cede característica ao outro e vice-versa.

III. A definição de Antonio Candido sobre zoomorfismo é construída por meio de um processo chamado quiasmo.

A respeito de tais afirmações, deve-se dizer que:

a) somente I está correta.
b) somente II está correta.
c) somente III está correta.
d) somente I e II estão corretas.
e) somente I e III estão corretas.

GABARITO.

Texto para as questões 18 e 19:

A um passarinho

Para que vieste
Na minha janela
Meter o nariz?
Se foi por um verso
Não sou mais poeta
Ando tão feliz!
Se é para uma prosa
Não sou Anchieta
Nem venho de Assis.
Deixa-te de histórias
Some-te daqui!


QUESTÃO 18
(ESPM 2019) A partir da leitura do poema e da observação da imagem, assinale a afirmação correta.

a) Tanto no texto poético quanto na imagem fica evidente que a fonte de inspiração para a prática literária são os elementos da natureza.

b) Enquanto a imagem mostra a alienação de vários leitores, o poema de Vinicius de Moraes sugere o engajamento do escritor com personagens históricas.

c) O texto poético diz que a produção literária é consequência da tristeza; a imagem deixa claro que só se faz poesia com a distração.

d) O poema de Vinicius e a imagem apresentam a ideia de que a poesia é algo fugidio, volúvel, consequência também de um estado de espírito.

e) A noção de que poesia e prosa são gêneros distintos fica evidente no texto poético; já a imagem não discrimina qualquer tipo de leitura literária.

GABARITO.

QUESTÃO 19
(ESPM 2019) Os dois últimos versos trazem a forma verbal no Imperativo Afirmativo, na segunda pessoa do singular (tu). Se estivessem na segunda pessoa do plural (vós), teríamos:

a) Deixai-vos de histórias/Sumi-vos daqui!

b) Deixe-vos de histórias/Suma-vos daqui!

c) Deixeis-vos de histórias/Sumais-vos daqui!

d) Deixemo-nos de histórias/Sumamo-nos daqui!

e) Deixais-vos de histórias/Sumis-vos daqui!

GABARITO.

QUESTÃO 20
(...)Pergunto-me se eu deveria caminhar à frente do tempo e esboçar logo um final. Acontece porém que eu mesmo ainda não sei bem como esse isto terminará.

E também porque entendo que devo caminhar passo a passo de acordo com um prazo determinado por horas: até um bicho lida com o tempo.

E esta também é minha mais primeira condição: a de caminhar paulatinamente apesar da impaciência que tenho em relação a essa moça.
(Clarice Lispector, A Hora da Estrela)

(ESPM 2019) O comentário acima, sobre a história de Macabéa, pertence ao narrador Rodrigo S.M. Assinale a afirmação correta. O narrador:

a) relata seu problema em lidar com a temporalidade da narrativa, daí a intensidade com que anseia iniciar a história da moça.

b) identifica-se com um bicho e sugere acompanhar voluntariamente a personagem.

c) afirma acompanhar temporariamente a personagem Macabéa, embora não demonstre nenhuma empatia com ela.

d) usa as expressões “caminhar passo a passo” e “caminhar paulatinamente” com valores de antonímia.

e) não vê obrigação em contar a história da personagem, sobretudo por haver estranheza entre ambos.

GABARITO.

MATEMÁTICA

QUESTÃO 21
(ESPM 2019) O número que se deve somar a 456788² para se obter 456789² é:

a) 456789
b) 1
c) 456788
d) 913579
e) 913577

GABARITO.

QUESTÃO 22
(ESPM 2019) Os jogadores A, B e C estão sentados diante de uma mesa redonda e cada um tem 4 cartas nas mãos.

As rodadas do jogo se sucedem da seguinte maneira:

Na 1ª rodada, A passa 1 carta para B.

Na 2ª rodada, B passa 2 cartas para C.

Na 3ª rodada, C passa 3 cartas para A.

Na 4ª rodada, A passa 4 cartas para B.

Na 5ª rodada, B passa 5 cartas para C e assim por diante, até que todas as cartas se encontrem nas mãos de A e o jogo termina.

O número de rodadas realizadas nesse jogo foi:

a) 12
b) 15
c) 18
d) 21
e) 24

GABARITO.

QUESTÃO 23
(ESPM 2019) O polinômio P(x) = a · xᵇ + b · xᶜ + c · xᵃ é tal que os números a, b e c são naturais consecutivos nessa ordem.

Sabendo-se que o resto da divisão de P(x) por (x – 1) é igual a 9, podemos afirmar que o resto da divisão de P(x) por (x + 1) é igual a:

a) 3
b) 1
c) 2
d) 5
e) 4

GABARITO.

QUESTÃO 24
(ESPM 2019) Num triângulo retângulo de hipotenusa a e catetos b e c, a medida da altura relativa à hipotenusa é igual a 4.

O valor da expressãoé igual a:



GABARITO.

QUESTÃO 25
(ESPM 2019) Se x ≠ y são reais não negativos e log(x² + y²) = 2 · log(x + y) , o valor de xʸ + yˣ é igual a:

a) 2
b) 1
c) 4
d) 0
e) 3

GABARITO.

QUESTÃO 26
(ESPM 2019) Uma praça tem a forma de um quadrado de 200 m de lado.

Partindo juntas de um mesmo canto P, duas amigas percorrem o perímetro da praça caminhando em sentidos opostos, com velocidades constantes. O primeiro encontro delas se dá em um ponto A e o segundo, em um ponto B.

Se a medida do segmento PA é 250 m, então, o segmento PB mede:

a) 50 m
b) 100 m
c) 150 m
d) 200 m
e) 250 m

GABARITO.

QUESTÃO 27
(ESPM 2019) Um menino possui 29 moedas de 10 centavos e 15 moedas de 25 centavos. O número de maneiras diferentes que ele tem para formar 5 reais é igual a:

a) 2
b) 3
c) 4
e) 6
d) 5

GABARITO.

QUESTÃO 28
(ESPM 2019) Estima-se que a probabilidade de um time de futebol repetir sua performance na temporada seguinte à atual é igual a.

Se nesta temporada esse time for campeão, a probabilidade de ele ser campeão daqui a duas temporadas é:



GABARITO.

QUESTÃO 29
(ESPM 2019) A figura abaixo representa uma parte de um bairro, onde os segmentos são as ruas e os pontos são as esquinas.

Como só podemos caminhar pelas ruas, a distância entre os pontos A e B é de 6 quarteirões.

(ESPM 2019) A figura abaixo representa uma parte de um bairro, onde os segmentos são as ruas e os pontos são as esquinas.

O número de esquinas assinaladas no mapa, que são equidistantes de A e B, é igual a:

a) 5
b) 6
c) 9
d) 8
e) 7

GABARITO.

QUESTÃO 30
(ESPM 2019) ABCD é um quadrado e ABE é um triângulo isósceles de base AB, interno ao quadrado.

(ESPM 2019) ABCD é um quadrado e ABE é um triângulo isósceles de base AB, interno ao quadrado.

Se o ângulo BÊC mede 90°, a medida do ângulo ABE é igual a:

a) 15°
b) 30°
c) 45°
d) 60°
e) 75°

GABARITO.

QUESTÃO 31
(ESPM 2019) Não é verdade que Paulo foi à escola e João não foi. Então, podemos afirmar que:

a) Se João foi à escola, Paulo não foi.
b) Se João não foi à escola, Paulo também não foi.
c) Ambos foram à escola.
d) Nenhum deles foi à escola.
e) Apenas um deles foi à escola.

GABARITO.

QUESTÃO 32
(ESPM 2019) Ana, Bia e Carla são amigas. Uma delas é loira, outra morena e outra ruiva, não necessariamente nessa ordem.

Apenas uma das afirmações abaixo é verdadeira:

Ana é loira.
Bia não é loira.
Carla não é morena.

Podemos afirmar, com certeza, que:

a) Ana é loira e Bia é ruiva.
b) Carla é morena e Bia é loira.
c) Bia é ruiva e Carla é morena.
d) Ana é morena e Carla é ruiva.
e) Carla é loira e Ana é morena.

GABARITO.

QUESTÃO 33
(ESPM 2019) As soluções reais da equação (x² – x)² + (y² – y)² = 0 representadas em um plano cartesiano, são vértices de um polígono cuja área vale:

a) 1
b) 2
c) 2
d) 2√2
e) 4

GABARITO.

QUESTÃO 34
(ESPM 2019) Em um escritório trabalhavam 15 pessoas. Em um certo ano o funcionário mais velho se aposentou, sendo substituído por um jovem de 20 anos.

Se a média de idade dos funcionários desse escritório diminuiu 3 anos, a idade do funcionário que se aposentou era:

a) 63
b) 60
c) 67
d) 65
e) 58

GABARITO.

QUESTÃO 35
(ESPM 2019) Daqui a 3 anos, a idade de um pai será a soma das idades que terão sua esposa e seu filho. Quando a esposa nasceu, a idade do pai era:

a) igual à idade atual do seu filho.

b) o dobro da idade atual do seu filho.

c) menor que a idade atual do seu filho.

d) 3 anos a menos que a idade atual do seu filho.

e) igual à idade que terá seu filho daqui a 3 anos.

GABARITO.

QUESTÃO 36
(ESPM 2019) O número 9xyz2 é o produto de 3 números pares consecutivos, onde x, y e z são algarismos ocultos.

O valor da soma x + y + z é:

a) 13
b) 7
c) 10
d) 16
e) 19

GABARITO.

QUESTÃO 37
(ESPM 2019) Seja S = (a1, a2, a3, ... , an) uma sequência de números naturais em que:



A soma dos 50 primeiros termos dessa sequência é igual a:

a) 2⁵¹ – 2
b) 2¹⁰⁰ – 2
c) 2⁵⁰ – 1
d) 2⁵⁰
e) 2⁵¹

GABARITO.

QUESTÃO 38
(ESPM 2019) No início de 2016, 90% da população economicamente ativa de uma cidade estava empregada.

Ao fim do primeiro semestre desse ano, 30% dos empregados deixaram seus empregos e 10% dos que estavam desempregados conseguiram emprego.

Durante o segundo semestre desse ano, 20% dos trabalhadores foram demitidos ou pediram demissão, enquanto 50% dos desempregados foram admitidos no mercado de trabalho.

Podemos concluir que, no fim de 2016, a porcentagem de desempregados dessa cidade era próxima de:

a) 27%
b) 42%
c) 31%
d) 47%
e) 35%

GABARITO.

QUESTÃO 39
(ESPM 2019) No plano cartesiano abaixo estão representados o gráfico da função y = x² e o triângulo equilátero OAB.


A área desse triângulo mede:

a) 2√3
b) 3
c) 3
d) 2
e) 3√3

GABARITO.

QUESTÃO 40
(ESPM 2019) Considere a função f: N* → N, tal que f(x) seja o número máximo de interseções de x retas do plano.

Assinale a única afirmação FALSA entre as alternativas abaixo:

a) f(3) = 3

b) f(4) = 6

c) f(x + 1) = 2 · f(x) para qualquer x ∈ N*

d) f(x+1) = f(x) + x para qualquer x ∈ N*

e) Não existe x ∈ N* tal que f(x) = 14

GABARITO.

INGLÊS

How James Brown Made
Black Pride a Hit

It’s been 50 years since he wrote
“Say It Loud, I’m Black and I’m Proud,” a
song that is still necessary.
By Randall Kennedy

In the gym at Paul Junior High School in Washington, D.C., in the spring of 1968, not that long before the assassination of the Rev. Dr. Martin Luther King Jr., I asked a buddy whether he was interested in a certain girl. He told me that he was not because she was too dark.

How James Brown Made Black Pride a Hit

He and I were African-American. (Then we would have called ourselves Negro.) So was she. All of us supported the Civil Rights Movement and idolized Dr. King, yet I did not hold my friend’s colorstruck judgment against him. And he did not state his opinion with embarrassment. We had both internalized our society’s derogation of blackness.

Indeed, we luxuriated in the denigration, spending hours trading silly, recycled but revealing insults: “Yo mama so black, she blend in with the chalkboard.” “Yeah, well, yo mama so black, she sweats chocolate.”

It was precisely because of widespread colorism that James Brown’s anthem “Say It Loud, I’m Black and I’m Proud” posed a challenge, felt so exhilarating, and resonated so powerfully. It still does. Much has changed over the past half century. But, alas, the need to defend blackness against derision continues.

Various musicians in the 1960s tapped into yearnings for black assertiveness, autonomy and solidarity. Curtis Mayfield and the Impressions sang “We’re a Winner.” Sly and the Family Stone offered “Stand.” Sam Cooke (and Aretha Franklin and Otis Redding) performed “A Change is Gonna Come.” But no entertainer equaled Brown’s vocalization of African-Americans’ newly triumphal sense of self-acceptance.

That Brown created the song most popularly associated with the Black is Beautiful movement is ironic. He generally stayed away from protest, endorsed the presidential re-election of Richard Nixon, lavishly praised Ronald Reagan, and consistently lauded Strom Thurmond.

His infrequent sallies into politics usually sounded in patriotic, lift-yourselfup-ism. In the song “America is My Home,” he proclaimed without embarrassment that the United States “is still the best country / And that’s without a doubt.” Alluding to his own trajectory, he challenged dissenters to name any other country in which a person could start out as a poor shoeshine boy but end up as a wealthy celebrity shaking hands with the president.

At the very time that in “Say It Loud,” Brown seemed to be affirming Negritude, he also sported a “conk” — a distinctive hairdo that involved chemically removing kinkiness on the way to creating a bouffant of straightened hair. Many AfricanAmerican political activists, especially those with a black nationalist orientation, decried the conk as an illustration of racial self-hatred. For a brief period, Brown abandoned the conk and adopted an Afro, but that was only temporary. The conk was part of the characteristic look of “The Godfather of Soul.”

Even though by 1968 uprisings against white supremacism had been erupting for a decade with great intensity and success — the Montgomery Bus Boycott, the Children’s’ Crusade in Birmingham, the protest against disenfranchisement in Selma — prejudice against blackness remained prevalent, including among African-Americans.

Champions of African-American uplift in the 1960s sought to liberate blackness from the layers of contempt, fear, and hatred with which it had been smeared for centuries. Brown’s anthem poignantly reflected the psychic problem it sought to address. People secure in their status don’t feel compelled to trumpet their pride. At the same time “Say it Loud!” was a rousing instance of a reclamation that took many forms. Instead of celebrating light skin, thin lips, and “good” (i.e., straight) hair, increasing numbers of African-Americans began valorizing dark skin, thick lips and “bad” (i.e., kinky) hair.

The reclamation of blackness in the sixties made tremendous headway quickly. By 1970 my friend would not have dared to repeat out loud what he had told me unapologetically two years before. Here, as elsewhere, however, changes wrought by the black liberation movement, though impressive, were only partial. Nearly four decades after the release of “Say It Loud,” Professors Jennifer Hochschild and Vesla Weaver, having synthesized the pertinent academic literature, declared authoritatively that compared to their lighter-skinned counterparts, dark-skinned blacks continue to be burdened by lower levels of education, income, and job status. They receive longer prison sentences and are less likely to own homes or to marry. Filmmakers, advertisers, modeling agencies, dating websites and other key gatekeepers demonstrate repeatedly the ongoing pertinence of the old saw: If you’re black get back. If you’re brown, stick around. If you’re white you’re alright.

Intraracial colorism in Black America is often seen as a topic that should, if possible, be avoided, especially in “mixed company.” That sense of embarrassment three decades ago prompted officials at Morehouse College to demand that Spike Lee cease filming on campus once they learned that his movie was exposing, among other things, black collegiate colorism. The impulse toward avoidance remains strong.

With racial prejudice against all African-Americans still a potent force, many would just as soon ditch the discussion of “black on black” complexional bias. Colorism, however, remains a baleful reality.

Half a century after James Brown’s proclamation, it remains imperative to assert what should have been assumed and uncontroversial all along: that black is beautiful and as worthy of pride and care and consideration as any other hue.
(Adapted from: www.nytimes.com, 20/07/2018)

QUESTÃO 41
(ESPM 2019) An important idea brought by the text is that James Brown’s song “Say It Loud, I’m Black and I’m Proud” was a milestone in the defense of:

a) colorism.
b) African-Americans’ self-consciousness.
c) racial prejudice.
d) a black nationalist orientation.
e) the reclamation of blackness.

GABARITO.

QUESTÃO 42
(ESPM 2019) In the second paragraph, the boldfaced sentence:

“We had both internalized our society’s derogation of blackness.”

means that:

a) they were both lenient.

b) they were both criticizing white people racist behavior.

c) they were black and they were proud.

d) they didn’t acknowledge themselves as black.

e) they were self-conscious about their color.

GABARITO.

QUESTÃO 43
(ESPM 2019) The text mentions a certain paradox in Brown’s attitudes. This is because:

a) despite his colorism, he constantly praised white people.

b) although he spoke high of Negritude, his hair looks didn’t match his say.

c) even though he fought for the Civil Rights, he proclaimed that the United States was the best country to live in.

d) although his song stuck up for black pride, he was subdued by a stronger need of fitting in the American society.

e) in spite of his conk hairdo, he objected coming across as an American patriot.

GABARITO.

QUESTÃO 44
(ESPM 2019) As of late 1960s, after the release of “Say It Loud, I’m Black and I’m Proud”:

a) there have been vanishingly fewer cases of racial prejudice in the United States.

b) colorism remains a menacing certainty.

c) black people have been more and more contemptuous about their color.

d) awareness about racism has been gradually decreasing.

e) intraracial colorism has increasingly appeared in the spotlight of college discussions.

GABARITO.

Beyonce, colorism,
and why all of this
needs to end
by Ernest Owens

Yes, the Super Bowl was on fire. As one who is very critical of halftime show performances, I cannot deny that Beyoncé brought the energy and attention. All of this led to her releasing her tour dates for the Mrs. Carter Show. As excited as I was to actually buy these tickets, something turned me off. The poster.


If you haven’t seen the photographs for Beyonce’s new world tour, you probably wouldn’t even recognize her. You will see an image of what looks like a Victorian white woman in the Elizabethan era. Her (prosthetic) blonde hair puffed and extended to reveal a face that is almost as white as snow. Lips red and her skin powdered. This is not the same bronze Beyonce that I saw rocking the stage in an all female band with her darker Destiny’s Child counterparts. I was only left with memories of previous patterns that the multi-Grammy award winning artist had done in previous years in regards to her skin. And I asked myself the question: why, Bey?

Let’s not act like this is something new. Over the years, it seems as though Beyonce has gotten lighter as she has gotten older. No, this is not genetics and let’s not pretend her skin color in her first Destiny’s Child album cover matches that of her latest album. Whether it is that highly controversial Revlon advertisement or her own album cover art, Beyonce has consistently been called out on alterations done to her pigments.

What does this say about our society for black women? It tells me that, an independent, confident and successful woman of color still struggles to have the confidence to fully embrace the skin she is in. If one of the most powerful women in entertainment feels she has to lighten her skin for projection, what does that say for the rest of us?

Believe it or not, colorism, the stigma associated with skin complexion, has been an ill that has not yet been dissolved by the black community. What was first given to us by slave masters in separating the house slaves from the field ones, has now taken place in how we objectify our women and each other.

This is pretty problematic in many ways. It’s first of all self-loathing and unnecessary for today’s times. The fact that our nation had an African-American first lady with a complexion that isn’t on the lighter side of the spectrum, nor does it try to be, shows a compelling advancement in appreciation for all women of color in many ways.

Furthermore, the only reason why such stigma in our country continues is contributed to our own behavior that is shaped by the influential people of color around us. It devastated me when I saw that Sammy Sosa had lightened his skin. As successful as he was in a field that was not necessarily fixated on male skin complexion, it saddened me to see him do it. In many ways, it even made me reflect back on the transition of the late great Michael Jackson and what explanations he had for such a more pale white appearance.

And why does all of this matter? Because I grew up hearing stories of young dark black girls getting their faces scrubbed with skin lightening soaps out of their free will. Tales of young women being abandoned by their mothers because they were too dark.

If this is the reality that had more implications back in the early 20th century than it does now, please stop it. Stop trying to explain why you are dating the ebony skin girl. Stop making it seem exceptional that a girl of a darker complexion is actually attractive.

Celebrities, stop putting extraneous powders and lighteners on your skin: we all know what you used to look like and we still love you. And people of color: let’s not continue to perpetuate an oppressive cycle of self-loathing of our appearance and heritage. If this can be accomplished, then perhaps even in our own race we can truly make our lives not be judged by the color of our skin but by the content of our character.
(adapted from www.huffingtonpost.com, 14/02/2013)

QUESTÃO 45
(ESPM 2019) The author of the article:

a) indicated that he wanted to attend a concert by Beyoncé.

b) wasn’t really into attending a show given by Beyoncé.

c) was interested in the artist when he saw the ad of the tour.

d) seems to enjoy watching Super Bowl halftime performances.

e) is a critic of pop music.

GABARITO.

QUESTÃO 46
(ESPM 2019) The author of the article criticizes the fact that the producers:

a) chose to employ a caucasian model.

b) wanted to associate the singer to a specific historic period.

c) intended to make the singer look unrecognizable.

d) edited Beyonce’s complexion to make it lighter.

e) hardly used makeup on the singer.

GABARITO.

QUESTÃO 47
(ESPM 2019) According the article:

a) some influential black people keep falling in the colorism trap.

b) influential black people are no longer victims of colorism.

c) Beyonce had no choice but to modify her looks to boost her career.

d) women of color nowadays refuse to alter their looks for projection.

e) the colorism stigma is a thing of the past.

GABARITO.

QUESTÃO 48
(ESPM 2019) The pronoun “it” in the phrase “nor does it try to be”, bold faced, in paragraph 6 refers to:

a) spectrum
b) the first lady
c) complexion
d) nation
e) lighter side

GABARITO.

Theodor Seuss “Ted” Geisel was an American author, political cartoonist, poet, animator, book publisher, and artist, best known for authoring more than 60 children’s books under the pen name Doctor Seuss (abbreviated Dr. Seuss).

As World War II began, he turned to political cartoons, drawing over 400 in two years as editorial cartoonist for the left-leaning New York City daily newspaper. He strongly supports US entry into the war. This is one of his creations from 1941:

and the Wolf chewed up the children and spit out their bones

QUESTÃO 49
(ESPM 2019) The cartoon:

a) was intended for child audiences.

b) criticizes violence in fairy tales.

c) condemns America’s indifference to the death of foreign children.

d) repudiates Adolf Hitler’s decisions.

e) depicts American mothers are mean and cold.

GABARITO.

QUESTÃO 50
(ESPM 2019) The use of the prepositions “up” and “out” after “chewed” and "spit" change the original meanings of the verbs. With them, the new meaning:

a) is only softened.

b) is stronger and more aggressive.

c) of “chewed” is softened but of “spit” is strengthened.

d) weakens the degree of sophistication to the original meaning.

e) is completely different from the original.

GABARITO.

HUMANIDADES E CULTURA GERAL CONTEMPORÂNEA

QUESTÃO 51
Os progressos da escultura podem ser explicados, em primeiro lugar, pela própria qualidade dos materiais de que os artistas passaram a dispor. Depois de um período de aprendizado em trabalhos de madeira e de pedra branda, a escultura grega passou a usar principalmente o mármore de grãos finos e compactos. Os processos de fundição de bronze foram provavelmente importados do Egito.

(ESPM 2019) A vida grega, que reservava ao corpo um papel tão importante, era favorável ao desenvolvimento da escultura. Assinale a alternativa correta sobre a escultura na Grécia Antiga:

a) por refletir o teocentrismo na cultura grega, as esculturas eram sempre estátuas de deuses;

b) a nudez era evitada, pois para um grego o nu era escandaloso;

c) havia uma completa ruptura entre a escultura e a arquitetura, artes que não dialogavam;

d) ao conferir ao corpo um papel tão importante, o atleta, estivesse ele em repouso ou em plena atividade, foi o modelo predileto dos escultores;

e) a estatuária grega ficou limitada a finalidade funerária e comumente representavam o morto em atitudes familiares.

GABARITO.

QUESTÃO 52
No século XIII surgiu a Escolástica, corrente filosófica que, a partir de então, dominou o pensamento medieval.
(Rubim Santos Leão de Aquino. História das Sociedades:

(ESPM 2019) A Escolástica:

a) teve em Santo Agostinho seu maior expoente e era teocêntrica;

b) teve em Alberto Magno seu maior expoente e refutava o teocentrismo, pregando o antropocentrismo;

c) teve em Tomás de Aquino seu principal expoente e foi uma tentativa de harmonizar a razão com a fé;

d) considerava que a razão podia proporcionar uma visão completa e unificada da natureza ou da sociedade;

e) pregava o recurso racional da força, sendo este mais importante do que o exercício da virtude ou da fé.

GABARITO.

QUESTÃO 53
A primeira vez que se mencionou o açúcar e a intenção de implantar uma produção desse gênero no Brasil foi em 1516, quando o rei D. Manuel ordenou que se distribuíssem machados, enxadas e demais ferramentas às pessoas que fossem povoar o Brasil e que se procurasse um homem prático e capaz de ali dar princípio a um engenho de açúcar.

Os primeiros engenhos começaram a funcionar em Pernambuco no ano de 1535, sob a direção de Duarte Coelho. A partir daí os registros não parariam de crescer: quatro estabelecimentos em 1550; trinta em 1570, e 140 no fim do século XVI.

A produção de cana alastrava-se não só numericamente como espacialmente, chegando à Paraíba, ao Rio Grande do Norte, à Bahia e até mesmo ao Pará. Mas foi em Pernambuco e na Bahia, sobretudo na região do recôncavo baiano, que a economia açucareira de fato prosperou. Tiveram início, então, os anos dourados do Brasil da cana, a produção alcançando 350 mil arrobas no final do século XVI.
(Lilia M. Schwarcz. Brasil: uma Biografia)

(ESPM 2019) A partir do texto e considerando a economia açucareira e a civilização do açúcar, é correto assinalar:

a) a cana de açúcar era um produto autóctone, ou seja, nativo do Brasil e gradativamente foi caindo no gosto dos portugueses e dos europeus, a partir do século XVI;

b) a produção e comercialização do açúcar ocorreram sob a influência do livre-cambismo em que se baseou o empreendimento colonial português;

c) a metrópole estabeleceu o monopólio real, porém a comercialização do açúcar passou para os porões dos navios holandeses, que acabaram por assumir parte substancial do tráfego entre Brasil e Europa;

d) os portugueses mantiveram um rigoroso monopólio sobre o processo de produção e refinação do açúcar, só permitindo a participação de estrangeiros na comercialização do produto;

e) para implantação da indústria canavieira no Brasil, o projeto colonizador luso precisava contar com mão de obra compulsória e abundante, dada a extensão do território e por isso sempre privilegiou a utilização dos nativos, cuja captura proporcionava grandes lucros para a coroa.

GABARITO.

QUESTÃO 54
No dia do golpe, 9 de novembro, a sucessão dos eventos é fulminante. Os episódios têm início já às 5 horas da manhã quando as convocações para uma reunião urgente, às 7, são expedidas aos anciãos (excetuados os poucos inclinados ao golpe).

Às 6, Talleyrand preparava a carta de demissão do diretor Barras; às 7, um magote de oficiais se acotovela nas portas da casa de Napoleão, que lhes fala da situação difícil do país (...)

Na cidade, vendem-se por toda parte panfletos que apresentam Napoleão como o salvador.
(Carlos Guilherme Mota. A Revolução Francesa)

(ESPM 2019) O cenário descrito no texto deve ser relacionado com:

a) o Período do Terror, ocorrido durante a Revolução Francesa;

b) o Grande Medo, processo de violência desencadeado por camponeses, durante a Revolução Francesa;

c) o Golpe do 9 Termidor, quando a alta burguesia reassumiu o poder através dos girondinos;

d) a implantação da Monarquia hereditária, quando Napoleão se fez proclamar imperador;

e) o Golpe do 18 Brumário, quando a burguesia encontra o braço forte armado para consolidar os seus interesses.

GABARITO.

QUESTÃO 55
(ESPM 2019) Somente a partir de 1850 vai se observar um maior dinamismo no desenvolvimento econômico do país em geral e de suas manufaturas em particular. O crescimento do número de empresas industriais se faria com relativa rapidez.

O assunto tratado no texto guarda relação com:

a) a eficácia duradoura da tarifa Alves Branco que protegeu a produção brasileira da concorrência dos produtos estrangeiros, sobretudo ingleses;

b) o fim do tráfico de africanos para o Brasil, estipulado pela Lei Eusébio de Queirós, medida que liberou capitais, até então empatados na compra de escravos, para outras atividades, como indústria, serviços urbanos e bancos;

c) a opção firme do governo imperial por apoiar a indústria em detrimento da agricultura, o que é comprovado pelo auxílio irrestrito às atividades do Visconde de Mauá;

d) a expansão da indústria, a partir de meados do século XIX, que ocorreu em todos os grandes centros do país, conforme comprovam o elevado número de empresas com mais de cem trabalhadores em regiões como o norte e o nordeste;

e) a formação de um consistente mercado interno decorrente da mineração, que impulsionou uma robusta urbanização capaz de oferecer escoamento da produção no âmbito local.

GABARITO.

QUESTÃO 56
Em junho de 1908 chegou ao Brasil, o navio Kasato Maru, trazendo o primeiro grupo oficial de imigrantes japoneses. A viagem começou no porto de Kobe e terminou, 52 dias depois, no porto de Santos. Vieram 165 famílias (781 pessoas) iniciando um fluxo contínuo de imigração de japoneses para o Brasil.
(Jhony Arai e Cesar Hirasaki. Arigatô.
A emocionante história dos imigrantes japoneses no Brasil)

(ESPM 2019) Considerando o texto e a história dos primeiros imigrantes japoneses chegados em São Paulo, correto afirmar que eles:

a) foram trazidos para o trabalho nos seringais, para a extração da borracha;

b) foram imigrantes que vinham por conta própria, pois não havia nenhum acordo entre Brasil e Japão sobre imigração;

c) foram encaminhados para servirem de mão de obra para a lavoura cafeeira;

d) foram trazidos com a finalidade de desenvolver as lavouras de arroz e chá;

e) foram trazidos com a finalidade de suprir de mão de obra as fábricas nacionais que surgiam em meio a um surto industrial.

GABARITO.

QUESTÃO 57
A 8 de janeiro de 1918, o presidente Wilson num discurso ao Congresso dos Estados Unidos, estabeleceu um programa de paz para a Europa baseado em catorze pontos, na aparência democráticos e liberais.
(Martin Gilbert. A Primeira Guerra Mundial)

(ESPM 2019) Leia os quatro itens abaixo e depois assinale, de acordo com as alternativas apresentadas, quais constavam do Programa de Paz do presidente Wilson:

I - Liberdade de navegação nos mares.

II - Remoção de barreiras econômicas e estabelecimento de condições de igualdade de comércio entre todas as nações.

III - Devolução dos territórios da Alsácia-Lorena à França.

IV - Criação do Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD).

a) Todos os itens;
b) Apenas os itens III e IV;
c) Apenas os itens I e II;
d) Os itens I, II e III;
e) Nenhum dos itens.

GABARITO.

QUESTÃO 58
Em 29 de novembro de 1947, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou a Resolução nº 181, determinando a partilha da Palestina em dois Estados, um judaico e outro árabe, que deveriam estar ligados por uma união econômica.
(Márcio Scalercio. Oriente Médio: uma análise reveladora
sobre dois povos condenados a conviver)

(ESPM 2019) A Resolução 181 manifestou-se favorável a que Jerusalém:

a) pertencesse a Israel e declarada capital do Estado judaico;

b) fosse a capital do Estado árabe palestino;

c) fosse submetida ao governo da Jordânia;

d) fosse colocada sob a proteção do Vaticano;

e) ficasse sob um regime de administração internacional.

GABARITO.

QUESTÃO 59
Relatório elaborado pela Organização da Unidade Africana (OUA) afirma que países como França, EUA, Bélgica e instituições como ONU poderiam, mas não tentaram evitar o genocídio de 1994 em Ruanda, com cerca de 1 milhão de mortos (quase 10% da população). A partir de início de abril de 1994, durante cerca de cem dias, milícias hutus conhecidas como interhamwe lideraram uma campanha de extermínio da população tutsi.
(https://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/2000/07/08)

(ESPM 2019) Quanto ao chamado genocídio de Ruanda é correto afirmar que:

a) a ONU atuou decidida e energicamente, mas não conseguiu evitar o genocídio;

b) a Bélgica era acusada no relatório por disseminar o ódio racial ao exacerbar as divisões étnicas entre hutus e tutsis;

c) EUA e Bélgica vetaram no Conselho de Segurança da ONU qualquer iniciativa para evitar o genocídio;

d) o genocídio ocorreu após a morte, em um acidente aéreo, do presidente de Ruanda Habyarmana, um tutsi;

e) a hedionda matança deve ser compreendida como uma questão exclusivamente africana, pois as armas utilizadas no genocídio eram, inclusive, fabricadas e vendidas por países africanos...

GABARITO.

QUESTÃO 60
O sociólogo, jurista e escritor Hélio Jaguaribe morreu neste domingo, no Rio de Janeiro, aos 95 anos.

Um dos expoentes do pensamento brasileiro, ao longo do século XX, foi um dos grandes intérpretes do nosso país.

Estudou o Brasil para transformá-lo, o que era uma das propostas do ISEB (Instituto Superior de Estudos Brasileiros).
(Folha de São Paulo, 11/09/2018)

(ESPM 2019) O ISEB, mencionado no texto, deve ser relacionado com o contexto apresentado na seguinte alternativa:

a) governo de Juscelino Kubitschek e a teoria do nacional-desenvolvimentismo;

b) governo Getúlio Vargas e corporativismo;

c) governo João Goulart e parlamentarismo;

d) governo Jânio Quadros e populismo;

e) governo do general Eurico Dutra e liberalismo.

GABARITO.

QUESTÃO 61
(ESPM 2019) Podemos afirmar sobre dados recentes da população brasileira que:

a) a expectativa de vida da população masculina é menor que a da feminina e, em parte, isso está relacionado à violência urbana e a acidentes de trânsito.

b) o crescimento vegetativo caiu devido à diminuição da taxa de mortalidade nos últimos 40 anos.

c) o frequente aumento da taxa de mortalidade infantil verificado na última década é resultado da estagnação no serviço de saneamento básico.

d) o ligeiro aumento na base da pirâmide etária indica uma reorientação demográfica verificada nos últimos anos.

e) os planos assistencialistas adotados pelo governo brasileiro erradicaram a alta concentração de renda do país.

GABARITO.

QUESTÃO 62
Observe o mapa a seguir:

A concentração no Centro-sul do fenômeno cartografado está relacionado a

(ESPM 2019) A concentração no Centro-sul do fenômeno cartografado está relacionado a (ao):

a) a proximidade das jazidas carboníferas.

b) maior centro consumidor e oferta de mão-de-obra.

c) produção de energia eólica.

d) maior proximidade das centrais sindicais com a consequente articulação do operariado.

e) presença da malha ferroviária, única região do país em que supera a rodoviária.

GABARITO.

QUESTÃO 63
(ESPM 2019) O gráfico representa a evolução no Brasil da:

Dados históricos dos censos população residente, por situação do domicílio e por sexo 1940-1996

a) população masculina e feminina.

b) taxas de natalidade e mortalidade.

c) emigração e imigração.

d) população rural e urbana.

e) distribuição e concentração de renda.

GABARITO.

QUESTÃO 64
Criação de novos recortes
territoriais só pode ser feita
por legislação específica

... são recortes instituídos por lei complementar estadual, de acordo com a determinação da Constituição Federal de 1988, visando integrar a organização, o planejamento e a execução de funções públicas de interesse comum. É competência dos estados a definição (...), nos termos do Artigo 25, Parágrafo 3° da Constituição Federal.
Fonte: IBGE, 23/05/2017.

(ESPM 2019) O texto trata do conceito de:

a) região metropolitana.
b) regiões brasileiras.
c) município.
d) unidade federativa.
e) capital de estado.

GABARITO.

QUESTÃO 65
Observe a canção a seguir:

A cara do Brasil

O Brasil é o que tem talher de prata
Ou aquele que só come com a mão?
Ou será que o Brasil é o que não come
O Brasil gordo na contradição?

O Brasil que bate tambor de lata
Ou que bate carteira na estação?
O Brasil é o lixo que consome
Ou tem nele o maná da criação?
(...)
A gente é torto igual Garrincha e Aleijadinho
Ninguém precisa consertar
Se não der certo, a gente se vira sozinho
Decerto então nada vai dar
Fonte: A Cara do Brasil. Vicente Barreto e Celso Viáfora.
CD: ‘E a turma chegando pra dançar. Dabliú Discos, 1999.

(ESPM 2019) No transcorrer das estrofes, a canção faz analogia com a:

a) violência urbana no Brasil.
b) concentração de renda.
c) Constituição brasileira.
d) diversidade cultural no Brasil.
e) presença de milionários no país.

GABARITO.

QUESTÃO 66
(ESPM 2019) A península em questão é caraterizada atualmente pela:

A península em questão é caraterizada atualmente pela

a) existência de uma guerra civil impulsionada por diferenças étnicas.

b) estabilidade política motivada pelo forte desenvolvimento econômico dos dois Tigres Asiáticos.

c) disputa entre as potências globais pelo controle das jazidas petrolíferas.

d) recente reunificação dos países que estavam separados desde a divisão nos anos 1960.

e) tensão política produzida pela provável produção de armas de destruição em massa.

GABARITO.

QUESTÃO 67
(ESPM 2019) O mapa abaixo destaca:

mapa

a) as maiores economias mundiais.

b) as grandes potências bélicas.

c) os mais populosos do mundo.

d) as maiores áreas territoriais.

e) as maiores biodiversidades.

GABARITO.

QUESTÃO 68
Com o foco voltado para o petróleo e usando parte do dinheiro arrecadado com as exportações do combustível para sustentar programas sociais, não se preocupou com o desenvolvimento agrícola e industrial do país.
Fonte: https://www.bbc.com/
Acesso: 22/11/2019.

(ESPM 2019) O texto retrata a grave crise econômica pela qual está passando a (o):

a) Argentina.
b) Venezuela.
c) Chile.
d) Brasil.
e) Uruguai.

GABARITO.

QUESTÃO 69
O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é uma medida resumida do progresso a longo prazo em três dimensões básicas do desenvolvimento humano: renda, educação e saúde. O objetivo da criação do IDH foi o de oferecer um contraponto a outro indicador muito utilizado, o Produto Interno Bruto (PIB) per capita, que considera apenas a dimensão econômica do desenvolvimento.
Fonte: PNUD, 2018. Disponível em: http://www.br.undp.org.

(ESPM 2019) Em seu Relatório de Desenvolvimento Humano divulgado em setembro de 2018, o PNUD demonstrou que no Ranking dos dez países mais bem colocados, em relação ao indicador mencionado no texto, verifica-se uma hegemonia dos países da:

a) Ásia.
b) América do Norte.
c) Europa.
d) Oceania.
e) América Latina.

GABARITO.

QUESTÃO 70
(ESPM 2019) A imagem de satélite a seguir destaca:


a) o maior delta do mundo de um rio que nasce em uma região úmida e posteriormente percorre uma zona árida, transportando ao longo de seu curso sedimentos e detritos orgânicos que são depositados no baixo curso.

b) um rio de regime equatorial drenado por elevada pluviosidade, durante o ano todo, com sentido longitudinal e extremamente aproveitado pelo alto potencial energético.

c) um rio intermitente que percorre zonas áridas e é vital para o transporte da população ribeirinha local, além de ser importante para a geração de energia e irrigação da agricultura dos países localizados na área de sua bacia.

d) o maior rio do mundo, que apresenta um trajeto latitudinal, correndo do interior para o litoral, transportando sedimentos e detritos orgânicos, apresentando uma foz em forma de estuário.

e) um dos maiores rios do mundo com regime endorreico em região que, no passado, se desenvolveu uma das mais importantes civilizações da história.

GABARITO.

QUESTÃO 71
(ESPM 2019) Nas eleições de 2018, o colégio eleitoral brasileiro apresentava:

a) maior número de eleitores que eleitoras.

b) mais de 140 milhões de eleitores, o maior da história.

c) uma diminuição em relação ao número de eleitores da eleição passada.

d) a maior quantidade de eleitores na faixa entre vinte e trinta anos.

e) aproximadamente 60 milhões de eleitores, sendo a maioria do sexo feminino.

GABARITO.

QUESTÃO 72
Dias Toffoli toma posse nesta quinta-feira 13/09/2018. Com 50 anos, Toffoli é conhecido por evitar polêmicas e por ter um tom pacificador em suas decisões.
(https://gauchzh.clicrbs.com.br/)

(ESPM 2019) Dias Toffoli tomou posse no cargo de:

a) Advogado Geral da União;
b) Presidente do Supremo Tribunal Federal;
c) Procurador Geral da República;
d) Presidente do Tribunal Superior Eleitoral;
e) Ministro da Justiça.

GABARITO.

QUESTÃO 73
O país não entrará em default. Nem neste ano, nem no ano que vem. Em uma mensagem de menos de dois minutos, transmitida pela televisão, antes da abertura dos mercados, o presidente anunciou um acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para antecipar todos os recursos necessários ao cumprimento do programa financeiro até dezembro de 2019. O dinheiro é parte do resgate de 50 bilhões de dólares (206 bilhões de reais assinado com o FMI em junho).
(https://brasil.elpais.com/)

(ESPM 2019) O acordo com o FMI produziu forte descontentamento na população do país que recorda as péssimas experiências de acordos anteriores (20 nos últimos 60 anos).

O país tratado no texto e o presidente que anunciou o acordo com o FMI são:

a) Argentina - Maurício Macri;
b) Colômbia - Iván Duque Márquez;
c) Equador - Lenin Moreno;
d) Venezuela - Nicolás Maduro;
e) Grécia - Aléxis Tsípras.

GABARITO.

QUESTÃO 74
(ESPM 2019) Em 2018 a relação entre as duas maiores potências econômicas mundiais foi marcada por:

a) uma reaproximação política e acordos estratégicos que levaram a uma diminuição da quantidade de ogivas nucleares.

b) acordos comerciais que anunciam a criação de um bloco econômico no Pacífico para os próximos anos.

c) a uma “guerra” comercial que envolveu a elevação de tarifas alfandegárias.

d) um aumento da tensão devido ao envolvimento de uma delas na guerra civil da Síria.

e) forte crise diplomática e comercial que levou à saída de uma delas da Organização Mundial do Comércio.

GABARITO.

QUESTÃO 75
Bolha imobiliária:
dez anos do gatilho da crise
que parou o mundo

Faz dez anos que explodiu a crise das hipotecas  subprime, ou hipotecas podres, assim chamadas porque haviam sido concedidas, com juros altos, a pessoas físicas com elevado risco de créditos.

O colapso dos mercados foi tão drástico que obrigou o Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos EUA) — e o Banco Central Europeu (BCE) — a injetar centenas de bilhões de dólares e a baixar as taxas de juros.
Fonte: El País. 07/08/2018. Disponível em:
https://brasil.elpais.com/. Acesso: 20/09/2018.

(ESPM 2019) O texto faz alusão à crise mundial de 2008 que colapsou os mercados financeiros devido às hipotecas podres que levaram à falência o (a):

a) Citygroup.
b) Leman Brothers.
c) Sumitomo Bank.
d) HSBC.
e) Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD).

GABARITO.

QUESTÃO 76
Concretizado o Brexit, em 2016, o governo de Thereza May passou a tratar de como colocar em prática a saída do Reino Unido da União Europeia. Dois caminhos se apresentaram possíveis: um acordo com Bruxelas, visando um divórcio amigável (Soft Brexit) ou uma saída sem acordo (Hard Brexit).
(https://www.publico.pt/)

(ESPM 2019) Quanto ao texto e as tratativas em relação ao Brexit, é correto assinalar:

a) Concretizado o Brexit, com o referendo, o governo britânico constituiu um Ministério específico para tratar do tema e a ruptura definitiva foi consumada em 2018;

b) A avaliação feita pelo governo britânico, dos grandes prejuízos que ocorreriam em consequência do Brexit, levou-o a convocar um novo referendo para 2019;

c) Empresas britânicas que negociam com a União Europeia irão enfrentar um emaranhado de burocracia, possíveis atrasos nas fronteiras e quebras no fluxo de caixa, caso ocorra um “Hard Brexit”;

d) O governo de Thereza May alcançou um acordo definitivo com Bruxelas e haverá um “Soft Brexit” a ser consumado até 31/12/2018;

e) Conforme os apoiadores do Brexit conseguiram provar, por uma série de estudos, os efeitos nocivos para a economia britânica deverão ser mínimos, enquanto a longo prazo haverá prosperidade.

GABARITO.

QUESTÃO 77
O ex-secretário geral da ONU Kofi Annan (nascido em Gana, em 1938), que ocupou o cargo entre 1997 e 2006, morreu no sábado em Berna aos 80 anos.

Ele se manteve ativo até seus últimos dias, liderando a delegação da ONU The Elders, fundada por Nelson Mandela, que visitou o Zimbábue durante as eleições no final de julho.
(https://brasil.elpais.com/)

(ESPM 2019) A respeito de Kofi Annan é correto assinalar:

a) Foi o primeiro secretário-geral da ONU nascido na África;

b) Teve como sua maior vitória, no exercício do cargo de secretário-geral da ONU, evitar a invasão norte-americana ao Iraque, em 2003;

c) Após deixar a chefia da ONU, continuou ativo na política e ainda exerceu um mandato como presidente do Quênia;

d) Ganhou o Nobel da Paz, em 2001, por ter dado nova vida à ONU, por seu trabalho em defesa dos direitos civis contra o terrorismo e por promover o combate à AIDS;

e) Desbaratou, em 1997, o escândalo “petróleo por alimentos” de pagamento de propinas ao entorno de Saddan Hussein, em comissões de 1.8 bilhões de dólares.

GABARITO.

QUESTÃO 78
A ONU usou pela primeira vez a palavra genocídio para descrever a matança de membros da minoria rohingya e recomendou que seis militares do país – inclusive o comandante das Forças Armadas – sejam processados por genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra.

O relatório da ONU descreve uma longa lista de crimes que teriam sido cometidos contra os rohingya. Entre eles, há torturas, estupros, casos de escravidão sexual, perseguições, extermínio e deportações.
(Folha de São Paulo; 28/8/2018)

(ESPM 2019) Assinale a alternativa que apresente, respectivamente, o país em que ocorreram os fatos descritos no texto e a identificação da minoria rohingya:

a) Bangladesh – minoria hindu;
b) Tailândia – minoria budista;
c) Laos – minoria budista;
d) Paquistão – minoria muçulmana;
e) Mianmar – minoria muçulmana.

GABARITO.

QUESTÃO 79
Leia a declaração de um integrante de uma das mais lendárias bandas de Rock and Roll:

Esta será nossa última turnê”,  disse o vocalista e guitarrista Paul Stanley. “Serão os shows mais explosivos e grandiosos que já fizemos. Para aqueles que nos amam, venham nos ver. Caso você  nunca tenha nos visto ao vivo, agora é a hora. Este será o show.
Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/.
Acesso: 20/09/2018

(ESPM 2019) Após 45 anos de estrada, o grupo, que se caracterizou, dentre outras coisas, pelo fato de seus integrantes se apresentarem no palco pintados, encerra a carreira. A banda em questão é:

a) Rolling Stones.
b) Pink Floyd.
c) Secos e Molhados.
d) Kiss.
e) Motorhead.

GABARITO.

QUESTÃO 80
(ESPM 2019) Sobre a composição da Câmara dos Deputados, após as eleições de 2018, está correto afirmar que:

a) o PT foi o maior derrotado e viu sua influência no parlamento se reduzir a uma pequena bancada.

b) o PSL foi o partido que mais cresceu e terá a segunda maior bancada.

c) apesar de seu candidato não ter tido bom desempenho nas eleições presidenciáveis, o PSDB manteve-se como o principal partido do Congresso.

d) poucos partidos conseguiram eleger deputados e haverá um Congresso mais enxuto e uniforme.

e) o MDB se mantém como o principal partido brasileiro, assegurando a tradição desde a redemocratização.

GABARITO.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.